Tag: dia dos namorados

Dia dos Namorados: uma história de amor com trilha de violino em tempos de pandemia

Dia dos Namorados: uma história de amor com trilha de violino em tempos de pandemia

Neste Dia dos Namorados, conheça a história de Esther e Lucas, um casal de músicos que mal tinha começado seu relacionamento à distância e foi pego de surpresa pela quarentena

Imagine-se na seguinte situação: você se apaixona perdidamente, começa um namoro à distância, vocês se veem algumas vezes e aí… vem a quarentena. Foi exatamente isso o que aconteceu com Esther Campos, de 19 anos e Lucas Farias, de 21. Depois de oito meses conversando por mensagens na internet, o casal se conheceu, começou a namorar, mas com apenas um mês de namoro, eles foram impedidos de se reencontrar devido à pandemia de Covid-19. Afinal, Lucas mora em São Paulo e Esther no Rio de Janeiro. Mas como eles se conheceram? Como se apaixonaram? Como o relacionamento está sobrevivendo ao tempo e à distância? Neste post, vamos te contar esses e outros detalhes dessa história para lá de curiosa e da qual a Buser também faz parte.

Leita também: Buser irá retomar sua operação de forma gradativa e com foco em segurança

Dois opostos e um elo: a música

Esther e Lucas são duas pessoas que não imaginavam um dia se encontrar. Eles têm estilos de vida diferentes, personalidades muito distintas e, ainda por cima, sempre estiveram separados por 433 Km de distância. Porém, a internet prova todos os dias o quanto as distâncias e espaços podem não ser tão importantes assim. Tanto Lucas quanto Esther são violinistas e, após encontrar um vídeo antigo de Lucas tocando em um concurso da TV Cultura aos 15 anos, Esther se tornou uma fã. Automaticamente passou a acompanhar o trabalho do violinista.

“Fiquei tão impressionada que via esse vídeo direto. Ele me inspirava muito e acho que ele nem sabe disso, porque senão ele vai ficar se achando (risos). Um dos motivos de eu ter estudado violino e me esforçado para ser o que eu sou hoje foram alguns vídeos que encontrei no caminho e um desses vídeos era dele”, conta Esther.

A jovem assistiu ao vídeo de Lucas durante dois anos, até resolver contatá-lo no Instagram.

Esther e Lucas, casal de violistas que namora à distância e estará assim no Dia dos Namorados
Esther e Lucas em passeio no Rio de Janeiro, onde mora Esther (Foto: arquivo pessoal)

O início do namoro

Depois de aproximadamente oito meses conversando, Esther e Lucas finalmente se conheceram. O músico foi fazer um show com a orquestra em que toca no Rio de Janeiro e foi paixão à primeira vista. “Chegou o grande dia da gente se ver e eu não queria nada com ele, só amizade. Mas quando a gente se encontrou foi mágico para mim. Depois de todos esses oito meses foi a primeira vez que a gentes se viu. Eu sou meio de sentir as coisas, meio emocionada (risos) e eu nunca tinha conhecido uma pessoa como ele. O que fez essa junção foi o violino mesmo. Tudo aconteceu de uma forma muito intensa e quando a gente teve esse contato eu me apaixonei. Cinco dias depois fui para São Paulo, passei uma semana lá e já queria voltar namorando”, conta.

Lucas se considera uma pessoa bem mais reservada e introspectiva que Esther. Antes da carioca, ele não havia namorado ninguém sério e foi uma surpresa conhecer uma pessoa tão direta. “Eu nunca tinha namorado com alguém antes, nunca fui de ter algo sério. Ela meio que me jogou contra a parede: ou você fala que quer ficar sério ou eu vou embora. Foi meio pesado pra mim, mas consegui entender o lado dela. Depois de um mês, em fevereiro, ela já tinha me pedido em namoro, mas aí eu fui pro Rio, fiz uma surpresa e começamos a namorar oficialmente”, acrescenta Lucas.

Confira um dos vídeos do casal tocando violino juntos, porém separados pela distância:

E onde entra a Buser nessa história?

Bom, tomar a decisão de assumir um namoro já é algo difícil e se esse namoro for à distância, mais ainda. Segundo Lucas, na hora de decidir, de fato, eles precisaram colocar na ponta do lápis quantas vezes conseguiriam se ver e a Buser foi fundamental nesse processo. “Quando estávamos decidindo ficar sério e namorar, a Buser foi importante para tomar essa decisão, porque sabíamos do preço acessível e percebemos que poderíamos nos ver mais. Foi importante para decidir que esse namoro poderia dar certo. Se não fosse a Buser, a gente iria pensar duas vezes se iria valer a pena. A gente brinca que a Buser compõe um triângulo amoroso com a gente”.

Esther indo encontrar o Namorado de Buser (Dia dos Namorados)
Esther em uma de suas viagens de Buser entre Rio e São Paulo para ver o namorado (Foto: arquivo pessoal)

O relacionamento em tempos de pandemia

O casal se conheceu pessoalmente em janeiro. Em fevereiro, um dia antes do aniversário de Esther, oficializaram o namoro e menos de um mês depois aconteceu o inesperado: a quarentena.

“Está sendo muito difícil. Nunca imaginávamos que teríamos, primeiro, um relacionamento à distância. Para completar veio, de brinde, a pandemia. Quando começou a quarentena eu estava na casa dele e eu quase não consegui voltar pro Rio. Nem o nosso primeiro mês conseguimos comemorar juntos, mas estou disposta a passar por isso para estar com ele”, afirma Esther.

Lucas complementa essa percepção ressaltando a dificuldade que é se comunicar à distância e o quanto isso tem sido desafiador. “A gente só se falava por mensagem e áudio e isso é complicado porque, às vezes, a pessoa do outro lado entende tudo diferente do que se quer dizer na verdade. Percebemos que isso era um problema maior do que parecia e que as nossas brigas todas tinham relação com  isso. Passamos a nos falar todos os dias por vídeo ou ligação de telefone. Eu estou descobrindo agora como é viver um amor à distância. Eu nem tinha experiência de namoro sério e to aprendendo tudo com ela. No geral, não é fácil”, acrescenta o músico.

Planos pós-pandemia

Ser jovem em um mundo onde tudo é tão líquido ou é viver relações líquidas ou lutar o dobro por algo mais sólido. Esse casal certamente está na luta pela solidez, afinal, se apaixonar e ver seus planos desmoronarem e ainda persistirem é para poucos. Eles não tiveram tempo de conviver e entender o jeito um do outro, conhecer as manias, entre outras coisas. Segundo Esther, não terem sido permitidos viver esse início intenso de namoro que os casais costumam ter é a pior parte.

“Minha maior expectativa é começar de verdade, porque nosso primeiro mês foi antes da pandemia começar. Foram dias incríveis juntos. Sei que temos muito para viver e conhecer ainda. Eu estou muito animada para viver essa aventura ao lado dele”, declara.

Para Lucas, mais do que isso, a pandemia abriu os seus olhos para o que realmente importa. “Eu sei que as coisas não vão ser como eram antes. Eu vou viajar mais pro Rio pra passar mais tempo com ela, porque antes, como não tinha essa preocupação, eu pensava: eu vou pra lá, mas quando tiver tempo. Agora sei como é ruim ficar muito tempo longe e quando passar tudo isso, tudo que eu mais quero é viajar pro Rio mais vezes ficar com ela e ela vir mais pra cá. Não quero desperdiçar tempo”. 

Dia dos Namorados é só no dia 12?

O dia 12 de junho é, oficialmente, o Dia dos Namorados, mas qualquer dia pode ser o Dia dos Namorados. O amor não tem data e hora para acontecer e por que teria para ser comemorado? Vamos ressignificar essa data e transformar a dor da distância em ainda mais afeto! No dia 12 ou em qualquer outro dia, desejamos muito amor para todos. Esperamos que venham dias melhores em que possamos fazer parte de mais histórias de amor, como a de Lucas e Esther.

Gostou dessa história? Então conheça outras no Blog da Buser. Ah! Se tiver planejando a viagem de comemoração do Dia dos Namorados pós-pandemia, não deixe de ler também “Destinos para casais: os 7 lugares mais românticos do Brasil”.

Feliz Dia dos Namorados e até a próxima!

Destinos para casais: os 7 lugares mais românticos do Brasil

Destinos para casais: os 7 lugares mais românticos do Brasil

Planejando a sua viagem de Dia dos Namorados pós-pandemia? Conheça os destinos para casais mais românticos do Brasil e aproveite uma viagem cheia de charme

O Dia dos Namorados está chegando e com ele a nossa vontade de viajar, mas neste momento vamos ficar só na vontade mesmo. Nós sabemos que essa ainda não é a hora certa de viajar, contudo, que tal adiar o Dia dos Namorados e planejar uma viagem para lá de romântica? Afinal, ninguém disse que a gente só pode comemorar a data no dia 12.

Para te ajudar nessa missão, preparamos um guia com os 7 destinos para casais mais românticos do Brasil. É só escolher um deles e esperar a pandemia passar e viajar junto com o seu amor, de preferência de Buser. Vamos lá?

Leia também: Planejando a próxima viagem? Conheça os destinos mais baratos do Brasil

Os destinos para casais

1- Jericoacoara – CE

jericoacoacoara é um dos destinos para casais mais românticos do brasil

Jericoacoara ou Jeri, como é mais conhecida, se tornou a sensação entre os viajantes, principalmente entre os casais. Com praias e lagoas de águas cristalinas, a vila localizada a 300 km de Fortaleza, é um verdadeiro cartão-postal.

O destino é ideal para casais por ser extremamente relaxante e bonito. Além disso, por lá é possível encontrar hotéis e pousadas com excelente estrutura. Jeri consegue misturar sua atmosfera quase familiar com a excelente estrutura turística.

Não deixe de experimentar um jantar a dois em um dos excelentes restaurantes locais e um passeio romântico pela Lagoa do Paraíso, que tem águas transparentes e redes para relaxar que tocam a água.

2- Gramado – RS

Gramado é um dos destinos preferidos dos casais que buscam uma viagem romântica. Localizada na Serra Gaúcha, com seu estilo de construção tipicamente alemão, conhecido como estilo enxaimel, e o clima mais frio, temos a sensação de estar em um pedacinho da Europa no Brasil.

Durante o inverno, a cidade é ainda mais aconchegante. E o que torna tudo ainda mais interessante é a gastronomia. Gramado faz parte de uma tradição gastronômica da Serra Gaúcha que tem raízes europeias. Por lá encontramos restaurantes de ponta, excelentes para um tempinho a dois.

Outra vantagem para os casais são os hotéis e pousadas extremamente aconchegantes e confortáveis, com quartos estilo chalé que muitas vezes têm lareira e cafés da manhã inesquecíveis.

3- Bonito – MS

É clichê e é uma piadinha que ninguém aguenta mais, mas Bonito é bonito demais! Reconhecida diversas vezes como o destino de aventura mais bem estruturado do país, a cidade mostra muitas facetas para os seus viajantes. 

Casais que curtem uma aventura na natureza, mas sem deixar de lado o conforto e uma boa estrutura turística local, vão amar a cidade. As flutuações do Rio Sucuri ao lado de cardumes de peixinhos coloridos, contemplar o azul neon da Gruta da Lagoa Azul ou mesmo se aventurar num rapel são alguns dos passeios que certamente indicamos.

Ah, e não deixe de aproveitar a gastronomia pantaneira que não deixa nada a desejar. Bonito tem alguns bons restaurantes que servem pratos típicos, como jacaré, considerado uma refeição nobre, além de peixes de água doce, como a piraputanga, símbolo da cidade. 

4- Petrópolis – RJ

Petrópolis é um destino famoso entre os casais brasileiros. A cidade é de fácil acesso e perfeita para comemorar a dois. Isso porque tem pousadas hiper românticas, restaurantes espetaculares e passeios ótimos para fazer a dois.

A cidade ainda preserva construções antigas do período imperial brasileiro, que dão charme e requinte aos passeios.  Além disso, a cidade tem muitos parques e praças, o  que deixa tudo ainda mais bonito. Por fim, o clima ameno da região serrana dão o toque final com aquele friozinho que completa a noite com um delicioso fondue na sacada do hotel com o seu par.

Para os casais mais animados e apreciadores de cerveja, não deixe de visitar as incríveis cervejarias da cidade ou de aproveitar os festivais de cerveja. 

5- Tiradentes – MG

Na foto esta uma mulher em uma ladeira de tiradentes. Um dos destinos para casais mais românticos do Brasil e ideal para o Dia dos Namorados

Tiradentes é um cantinho muito especial em MG. É uma pequena cidade com arquitetura barroca perfeitamente preservada. Tiradentes é conhecida por seus muitos festivais culturais, como o festival de cinema, e, também, pelos festivais gastronômicos. É justamente a gastronomia que torna a cidade ímpar. Apesar de ser uma pequena cidade de interior, Tiradentes tem restaurantes que deixam muitas capitais por aí no chinelo.

Além disso, sua estrutura hoteleira é muito charmosa, com hotéis e pousadas aconchegantes e com cafés da manhã coloniais de fazer valer a pena qualquer viagem. Já viu uma mesa mineira posta? Se não, recomendamos fortemente que veja. Também é possível reservar incríveis casas e chalés por lá  para ter um ambiente mais privativo à disposição do casal.

Por fim, os casais mais aventureiros ainda podem aproveitar suas muitas trilhas e cachoeiras fantásticas. 

6- Ilha do Mel – PR

Imagine uma pequena ilha rústica que não permite carros e possui uma natureza perfeitamente preservada em seu interior? Pois essa é a Ilha do Mel, localizada a apenas 97 Km de Curitiba. Por lá, casais que gostam mais de ter contato com a natureza podem desfrutar de trilhas de areia entre morros verdes e cartões postais, como o Farol das Conchas.

Apesar do tamanho e acesso, a ilha tem aquele elemento que é o verdadeiro diferencial de uma viagem romântica: estrutura turística. Por lá é possível encontrar ótimas opções de hotéis, pousadas e restaurantes sem se desconectar com a natureza.

Mas fique atento e planeje a viagem, especialmente se resolver comemorar o Dia dos Namorados no verão, pois a ilha recebe, no máximo, 5 mil visitantes por dia para preservar o meio-ambiente.

7- Monte Verde – MG

Monte Verde é um dos destinos preferidos dos casais que gostam de um friozinho. A pequena vila é cheia de charme e atrações. Na verdade, Monte Verde é um distrito de Camanducaia -MG, localizado na Serra da Mantiqueira. E é a altitude da vila que a torna tão charmosa. As pousadas são emolduradas por montanhas repletas de natureza, ou montes verdes e, daí, entende-se o nome. 

Muita gente compara a vila aos Alpes Suíços. Isso porque é um dos poucos lugares no Brasil que tem fortes geadas no inverno e de onde é possível ver o topo das montanhas branquinho contrastanto com a arquitetura tipicamente europeia ao redor deles.

Por lá, come-se muito bem. São muitos restaurantes especializados em gastronomia da Serra da Mantiqueira. Não se esqueça de aproveitar alguma das inúmeras chocolaterias para tomar um chocolate quente inesquecível. 

E aí, gostou das dicas? Então não se prenda no calendário e escolha a data certa para comemorar o seu Dia dos Namorados em 2020. Afinal, o mais importante é a saúde e o resto a gente dá um jeito depois.

Confira outras dicas de viagem no Blog da Buser!

Jéssica e suas viagens de ônibus atrás de um crush argentino

Jéssica e suas viagens de ônibus atrás de um crush argentino

No dia de São Valentim, conheça a história da jornalista que precisava fazer viagens de ônibus de forma econômica e encontrou no aplicativo Buser a chance de rever seu amor

Hoje, 14 de fevereiro, é dia de São Valentim — o Dia dos Namorados fora do Brasil pela fama de casamenteiro do santo. Nesta data apaixonada, vamos contar uma história real nada comum de um casal de diferentes nacionalidades que encontrou na Buser, e nos acasos do destino, uma maneira econômica de esbanjar amor. Vamos lá?

Leia também: 6 dicas para o carnaval que vão te fazer economizar muito

Duas pessoas apaixonadas separadas por muitas viagens

Jéssica Romero é o nome de uma jornalista com um cotidiano super corrido, mas que não deixa a rotina engolir a vida pessoal. Essa história começou quando sua tia foi passar o réveillon de 2016-2017 na Patagônia– ARG. Ela ficou hospedada em um hostel onde trabalhava o segundo personagem dessa história, Pablo (nome fictício). Ao conhecer o argentino, certa de que havia conhecido a alma gêmea da sobrinha, a tia não perdeu tempo, incorporou o cupido e apresentou os dois, mesmo que virtualmente.

Após a apresentação, no mínimo inusitada, Jéssica e Pablo começaram a se falar  por WhatsApp.“De fato, éramos perfeitos um para o outro e conversamos por muito tempo através de mensagens. Depois desse tempo todo, viajei para a Patagônia. Queria muito conhecer o local, mas o Pablo também. Nos apaixonamos perdidamente em minha viagem”, conta. 

Jessica na Patagônia e apaixonada pela Buser. No fundo na imagem existe neve ela está fortemente agasalhada.
Jéssica em sua viagem para a Patagônia (Foto: arquivo pessoal)

Antes de voltar, certa de que não veria mais seu “crush”, Jéssica fez uma carta de despedida com um poema, mandou uma música e retornou para o Brasil de coração partido.

Outra viagem, dessa vez de ônibus, e muitas “Buedas” no aplicativo

Passado um tempo da volta de Jéssica para o Brasil, seu amor argentino decidiu vir para cá de férias. Como nem tudo são flores, o momento coincidiu com um período delicado na vida dela. Sua situação financeira estava péssima e ela havia acabado de ser despejada do apartamento em que morava em São Paulo. Um acidente em uma obra que abalou a estrutura do prédio e obrigou os moradores a abandonarem suas casas. Foi aí que a Buser entrou nessa história.

“Eu precisava ir ao Rio de Janeiro e voltar, mas tinha que fazer a viagem em um fim de semana, devido ao trabalho, e sem dinheiro. Eram duas viagens de ônibus. Então, pedi para as pessoas se cadastrarem na Buser para eu conseguir moedas no aplicativo (chamadas de Buedas). Fiz uma campanha no Instagram, WhatsApp e Facebook”. 

Com a campanha, Jéssica conseguiu tanto desconto que pagou um valor muito abaixo do esperado pela viagem e, ainda, sobrou dinheiro para beber aquela cervejinha gelada na praia.


Mais saudades e outra viagem de ônibus

Depois de um fim de semana apaixonante, a vida de Jéssica voltou ao normal. Mas seu coração e pensamentos estavam com o Argentino, que permanecia de férias no Brasil e iria para Ilha Grande – RJ. Sem pensar duas vezes, ela mobilizou os amigos novamente para rever sua paixão. Então, mais uma vez, ela conseguiu ir para o Rio.

“Financeiramente seria uma loucura. Precisava viajar duas vezes praticamente no mesmo mês entre São Paulo e Rio de Janeiro. Da segunda vez eu ainda precisaria pegar outro ônibus para Angra e um barco para Ilha Grande. Eu não teria dinheiro para isso”.

Na imagem, Jéssica está em sua viagem pelo Rio de Janeiro viabilizada pela Buser (Foto: arquivo pessoal)

O relacionamento acabou, mas a paixão pela Buser não

Apesar da intensidade do encontro entre os dois, o relacionamento internacional não durou, infelizmente, mas Jéssica se tornou uma verdadeira embaixadora da marca.

“A Buser está sempre comigo e me ajuda a ir para onde preciso. O argentino não (risos). O aplicativo faz parte de vários momentos importantes da minha vida, como quando meu pai fez uma cirurgia, eu estava sem dinheiro, mas queria muito vir para Ribeirão Preto vê-lo. Com a empresa eu consegui. Acho que é uma relação que deu certo para o longo prazo. Já com o argentino, foi só uma paixão fugaz”, brinca.

Jéssica, hoje, viaja muito a trabalho e lazer com a Buser. Assim, acaba sempre divulgando os serviços da empresa. Ela virou uma referência, quando o assunto entre amigos é o aplicativo. “Vários amigos vêm pedir dicas, tirar dúvidas, etc. A Buser tem possibilitado que a gente veja mais a família, visite alguém que está longe, participe de eventos… Não é só preço, é ter a alternativa e possibilidade de fazer isso com mais facilidade e conforto”, acrescenta.

Para além do preço, serviço diferenciado

Viajar de Buser é até 60% mais barato quando comparado aos preços da rodoviária. E não só de preços vantajosos se faz o aplicativo. Afinal, a Buser é  plataforma de fretamento colaborativo. Nela, passageiros encontrem bons preços por viagens de ônibus e as empresas de fretamento expandem seus serviços. Aliado a isso, a empresa e suas transportadoras parceiras prezam pela excelência na experiência do cliente, com foco em: segurança, conforto e bom atendimento.

Todas as viagens são feitas por motoristas profissionais, veículos inspecionados e monitorados por GPS. Há a possibilidade de viajar em ônibus cama, leito ou semi-leito. As reservas são feitas pelo site ou aplicativo. Para viajar, é só apresentar um documento com foto, sem a necessidade de ir a uma rodoviária e pegar filas para comprar, retirar ou imprimir passagens.

“O ônibus é confortável, tem água, chocolate, os motoristas são bons, o banheiro está sempre limpo, tem cobertas e o serviço é impecável. Além do preço ser mais baixo, sempre tem promoções que deixam tudo ainda mais barato”, acrescenta Jéssica.

Seja um Buser Lover você também. Baixe nosso aplicativo ou acesse nosso site e saiba como viajar com conforto, praticidade e preços baixos. Hoje a história foi da Jéssica, mas a próxima pode ser a sua!