Autor: Buser Brasil

Dia dos Pais: quando a distância física não define presença

Dia dos Pais: quando a distância física não define presença

No Dia dos Pais, conheça os pais da Buser que, mesmo precisando enfrentar a distância física dos seus filhos, são presentes e atuantes

Como diria aquele ditado: “a presença é o maior presente que qualquer um pode ganhar” e quando o assunto é família, todos sabemos que isso é mesmo uma verdade. Seja porque o nosso trabalho nos impede de estar perto fisicamente, porque moramos em casas separadas, ou ainda por causa da pandemia, a distância física pode ser uma realidade, mas a presença não é diretamente ligada a ela. Prova disso são os pais Natan Nakel e Fernando Batista, cujas histórias serão contadas a seguir, mas não por eles, e sim pelas companheiras e filhas.

Leia também: Dia do Motorista: as histórias e sonhos por trás do volante

Natan, redescoberta de si como pai

Natan Nakel é diretor de criação na Buser e pai da pequena Helena, de 8 meses. Sua namorada, Renata Kalil, o define como um pai presente, um homem maravilhoso, íntegro, divertido, intenso e um presente na vida dela e da filha.

“Quando o Natan descobriu que ia ser pai, eu estava em Piracicaba e ele em São Paulo, dentro do metrô, indo para o cinema. Foi uma notícia inesperada. Ele veio para cá, do jeito que estava e, no caminho, comprou um sapatinho de bebê. Quando chegou aqui, me fez a surpresa, com uma linda carta”, conta.

No Dia dos Pais foto de Natan Nakel junto com sua filha, Helena, e sua namorada.
Na foto, Natan está na companhia de sua filha Helena e de sua namorada, Renata (Foto: arquivo pessoal)

Renata ainda diz que Natan fez um curso de gestação, o que ela considera o maior presente que ganhou durante a gravidez e que o parto da Helena foi um dos momentos mais marcantes da vida de ambos. “Ele me acompanhou durante o parto, me apoiou, me alimentou e viu a nossa pequena nascer ao som de Anunciação do Alceu Valença. Ele cortou o cordão umbilical e nos emocionamos com esse momento tão mágico. Lógico que sempre com boas piadas”.

Ainda de acordo com a Renata, Helena mudou a forma como ambos enxergam a vida e os fez perceber um novo mundo. Apesar de morarem em cidades diferentes, Natan se faz presente. Com a pandemia, o casal decidiu ficar afastado até o mundo ficar mais seguro para a filha, o que para Renata foi um ato de amor.

“Eu percebo que o Natan sente muito em não estar aqui vendo a nossa filha conquistar tantas coisas. Tomamos essa decisão juntos e entendemos ser o melhor para nossa pequena. Sabíamos das dificuldades que passaríamos, mas aguentamos firmes até aqui”, conclui.

Fernando, o típico paizão

Fernando Batista é motorista da empresa parceira da Buser, Santa Maria Turismo. Devido a sua rotina como motorista, ele precisa ficar ausente de casa em alguns dias da semana, mas isso nunca foi um impedimento para que ele estivesse presente na vida das filhas Fernanda, de 11 anos e Jéssica de 2 anos.

Sua esposa, Janaína da Silva, o define como um pai manhoso, carinhoso e muito presente na vida das filhas. “Nossa rotina é super corrida, quando ele sai para viajar sempre o levamos até a porta e damos um tchau especial para que o papai vá trabalhar feliz e seguro. A Jéssica sempre vai no colo dele, a Fernanda gosta de levar a mala do papai, mas é sempre um momento especial para desejarmos a ele uma boa viagem”, conta.

Dia dos Pais: fernando, motorista da Santa Maria Turismo, acompanhado das filhas Fernanda e Jéssica
Fernando acompanhado das filhas Fernanda e Jéssica (Foto: arquivo pessoal)

Quando viaja, Fernando costuma ficar dois dias fora de casa e a volta é sempre um momento esperado com muita expectativa pelas suas filhas. “A sua volta para casa no final de cada viagem é a parte mais especial. Elas esperam por ele muito ansiosas e é a maior festa e gritaria quando ele chega. A Fernanda, que é a mais velha, tira as meias dele e a Jéssica, carinhosamente chamada de Batatinha por ele, guarda seus sapatos. A Fernanda leva a toalha pra ele e limpa a pele dele depois do banho. Por fim, vão os três dormir agarradinhos”, acrescenta Janaína.

Dia dos Pais na Buser

Não só no Dia dos Pais como em todos os dias, queremos registrar a nossa gratidão e respeito por todos os pais da Buser: colaboradores, motoristas parceiros e clientes, especialmente para aqueles que precisam estar fisicamente longe dos filhos. Sabemos que a presença não é só física e que o amor não tem limite geográfico, então, desejamos a todos os pais um Feliz Dia dos Pais e uma vida repleta de afeto e troca.

E aí, gostou de conhecer essas histórias? Então conheça outras no Blog da Buser. Até breve!

6 dicas para usar a máscara corretamente durante a viagem

6 dicas para usar a máscara corretamente durante a viagem

Vai viajar com a Buser? Então conheça o passo a passo para usar a máscara na viagem do jeito certo para não se expor a riscos desnecessários

Chegou a hora em que as pessoas voltaram a viajar. Alguns precisam trabalhar, outros precisam visitar um familiar que não vê a muito tempo… muitos são os motivos, mas todos querem viajar com segurança. Você também é uma dessas pessoas que vai fazer o trajeto de ônibus e está em dúvida sobre como usar a máscara? Pois saiba que essa é uma dúvida frequente dos clientes da Buser e, neste post, queremos explicar o passo a passo para você usar a máscara e ficar seguro durante toda a viagem de ônibus. 

Agora, se você ainda está pesquisando um jeito mais seguro de viajar, então vá de Buser. Conheça os nossos protocolos e viaje com segurança.

1- Qual máscara devo usar?

Do início da pandemia de Coronavírus até agora, muitos tipos de máscara já surgiram e, diferente do passado, agora temos uma gama de opções disponíveis para compra. Cada um de nós já sabe com qual tipo de máscara nos adaptamos melhor e não existe certo ou errado na hora de escolher a máscara ideal para viajar. O recomendado é que ela esteja em boas condições, higienizada e te dê conforto, afinal, você deve permanecer de máscara durante toda a viagem. 

Leia também: Buser inova em segurança como forma de prevenção contra o Coronavírus

2- Leve máscaras extras

Muita gente se lembra de colocar a máscara e permanecer com ela perto de outras pessoas, mas se esquece de que as máscaras têm prazo de validade. Máscaras de pano, as mais comuns em uso hoje, devem permanecer em nosso rosto por aproximadamente 3 horas. O tempo de validade da máscara no rosto pode variar de acordo com o quanto você falou, afinal, a fala umedece a máscara e a faz perder poder de filtração. Dessa forma, pessoas que conversam muito durante a viagem precisam trocar a máscara com intervalos menores, de 2h ou um pouco mais.

na imagem uma mulher branca usa uma máscara cirúrgica contra o coronavírus, indicando o jeito certo de usar a máscara em viagens.

3- Quando trocar de máscara?

Apesar da troca de máscara ser indicada com 3h de viagem, o ideal é você esperar uma das paradas para fazer a troca. Assim, você não fica exposto e nem expõe outras pessoas por fazer a troca em um lugar seguro e distante dos outros.

Apesar dos ônibus das empresas parceiras da Buser estarem viajando com a lotação reduzida, trocar a máscara em um local mais ventilado é o ideal.

4- Como armazenar máscaras limpas e máscaras usadas?

Leve sempre dois saquinhos plásticos, um para as máscaras limpas e outro para as sujas. Na hora de trocar, tire a máscara usada segurando apenas pelos elásticos e coloque no saco das máscaras usadas. Em seguida, higienize as mãos com álcool 70% e pegue outra máscara do saquinho de máscaras limpas. Nunca deixe a máscara em superfícies de mesas, em cima da poltrona ou dentro do bolso.

5- Estou usando a máscara corretamente, mas outro viajante não. Como proceder?

Se você vir outro viajante tirar a máscara durante a viagem e permanecer sem ela ou usar a máscara no queixo, reporte para o motorista da empresa transportadora imediatamente. Se preferir, você também pode entrar em contato com o setor de suporte ao cliente através do ME AJUDA

O uso de máscara durante 100% do tempo da viagem é uma regra nos estados em que os ônibus das empresas parceiras circulam e quem descumprir deve desembarcar imediatamente.

6- Ocorreu um problema com a minha máscara, o que devo fazer?

Se você está usando a sua máscara durante a viagem, ela fica danificada por algum motivo, e você não dispõe de mais máscaras extras, solicite ao motorista uma máscara reserva. Nos ônibus da empresas parceiras existem máscaras estéreis disponíveis exclusivamente para emergências como essa.

Dica bônus: planeje-se bem

A dica de ouro para você que vai viajar de ônibus nesse momento delicado de saúde pública em que vive o país é, sem dúvida, planejamento. Reserve o número de máscaras necessário e, se for ficar muito tempo fora, higienize as máscaras corretamente na estadia. Se não tiver tempo de higienizar, contabilize o número total de máscaras necessárias e coloque na mala. Com planejamento você fica mais seguro e também protege as pessoas ao seu redor.

E aí, gostou das nossas dicas? Então confira outras no Blog da Buser. E lembre-se: segurança é a palavra de ordem neste momento e não deixe a sua de lado nem por um segundo.

Boa viagem e até breve!

Em tempos de pandemia, planeje a melhor época para viajar em 4 passos

Em tempos de pandemia, planeje a melhor época para viajar em 4 passos

Está planejando sua próxima viagem pós-pandemia de Covid-19? Então entenda qual é a melhor época para viajar no Brasil

Planejar uma viagem envolve várias etapas e para fazer um planejamento eficiente é necessário ir além de estabelecer um orçamento, destino e meio de transporte: definir a data é uma decisão tão estratégica quanto as outras. Porém, para que você descubra qual é a melhor época para viajar é preciso levar em conta o seu perfil, sua disponibilidade, o seu orçamento, o seu estilo e, principalmente, o seu sonho. 

Em tempos de pandemia essa tarefa é ainda mais difícil, afinal, o futuro ainda é incerto. A boa notícia é que os hotéis e meios de transporte estão oferecendo condições flexíveis para remarcação e cancelamento. Então, como nós sabemos que você já não aguenta mais de ansiedade para viajar, que tal concluir essa etapa do planejamento e escolher quando tirar férias? Confira as nossas dicas a seguir e escolha a melhor época para viajar.

Leia também: Pensando na próxima viagem? Conheça 5 destinos surpreendentes para viajar de ônibus

1- Escolha que tipo de viagem quer fazer

Talvez o primeiro de todos os passos seja definir o foco da sua viagem. Ou seja, o que você quer fazer na viagem? Pode ser que a resposta seja ecoturismo, praia, compras, monumentos históricos, cultura, esportes radicais, eventos…existe uma infinidade de respostas possíveis.

Então, primeiro, defina quais atividades específicas você quer fazer. Se for um mergulho, por exemplo, isso pode depender de condições de maré e da época do ano. Já se você quiser acompanhar um festival cultural, ele possivelmente tem data marcada. Agora, se o foco for natureza, por exemplo, as condições climáticas são fundamentais.

Normalmente, ao estabelecer a sua prioridade você irá reduzir as suas possibilidades e poderá fazer uma escolha de data mais guiada.

Contudo, uma certeza nisso você pode ter desde o início. Viajar de Buser é sempre mais barato, seguro e confortável. Clique no botão abaixo e veja nossos preços.

2- Alta ou baixa temporada?

Escolher a alta ou baixa temporada também é relativo. No Brasil, para a maior parte do país a alta temporada é marcada pelos meses de verão, os preferidos para curtir as praias; ou os feriadões que fazem com que todos viajem ao mesmo tempo. Porém, características específicas do clima de cada região também podem marcar a alta temporada. No caso da região de Gramado, Campos do Jordão e Petrópolis, por exemplo, a alta temporada é concentrada nos meses de inverno, quando a temperatura nessas localidades cai.

Sendo assim, escolher entre baixa e alta depende dos seus objetivos. Se você quiser aproveitar o máximo do lugar, como ir a eventos, restaurantes de temporada e não ter medo da previsão do tempo, a sua escolha precisa ser entre os meses de alta. Agora, se o seu objetivo é economizar, não há dúvidas de que sua viagem precisa ser na baixa temporada.

É bom lembrar que na alta você vai enfrentar trânsito, lugares cheios e preços salgados. Na baixa, apesar de você não conseguir o pleno potencial do local, você vai aproveitar lugares vazios e preços mais suaves. 

imagem de mãos femininas encostadas em uma mochila e segurando um mapa que remete que a escolhe do destino influencia na escolha da melhor época para viajar

3- Entenda as estações do ano em cada região

Se você vai tirar férias em julho, por exemplo, é baixa temporada em todo o litoral brasileiro, já nas regiões serranas é alta. Além de entender quando a alta temporada se concentra no lugar que você deseja ir, é bom entender como cada estação do ano é naquele lugar. Por exemplo, se você quer fugir da chuva e ir para uma cidade de litoral do sudeste, a melhor opção não é o verão e sim o outono, com temperaturas mais amenas, meses mais secos e o melhor, preços mais baixos. Já no nordeste, chove muito menos no verão e é uma escolha mais segura para essa temporada. 

Além disso, antes de escolher é bom considerar que nem sempre o clima de baixa temporada é ruim. Afinal, sempre há períodos do ano com bom clima além da alta, mas com preços de baixa. A escolha vai depender mesmo da sua prioridade, disponibilidade e do destino escolhido.

4- A melhor época para viajar

Então, qual é a melhor época para viajar? A resposta é que você define. Neste post você pode perceber que há vantagens na alta, na baixa e que tudo depende do tipo de viagem e da sua disponibilidade. A melhor época é a que funciona melhor para você e o fundamental, mesmo, é tirar um tempo para fazer esse planejamento detalhado.

Como ainda estamos vivendo a pandemia de Covid-19 e o turismo ainda não é indicado por motivos de segurança, use esse tempo para planejar a sua viagem como nunca antes. Afinal, planejamento diminui a chance de erro e frustração. 

Mas nunca se esqueça de levar em consideração os seus sonhos, gostos pessoais e conforto. O orçamento direciona decisões, mas não deve impedir o seu sonho.

Então, bora começar a planejar a data das suas férias?

Para acessar mais conteúdos de planejamento de viagem acesse o Blog da Buser.

Até a próxima!

Dia do Motorista: as histórias e sonhos por trás do volante

Dia do Motorista: as histórias e sonhos por trás do volante

No Dia do Motorista, conheça três profissionais diferentes: Aguinaldo, Danilo e Genilson e suas histórias e trajetórias de vida para além das estradas

Amanhã, dia 25 de julho, é Dia do Motorista e nesta data queremos saber, afinal, quem são essas pessoas que movimentam o Brasil?  Atrás do volante existem mais do que motoristas, são filhos, pais e pessoas que têm sonhos e para grande parte deles esse sonho sempre foi a profissão. Danilo, Aguinaldo ou Genilson são pessoas muito diferentes, de origens distintas, mas com algo muito forte em comum: a paixão pelo ônibus e por atender.

Quer conhecer as histórias cativantes desses motoristas parceiros da Buser? Então continue a leitura.  

Mãos que movem o Brasil

Há pouco mais de 200 anos, quando o primeiro ônibus transportou passageiros no Brasil, não imaginávamos que um dia as distâncias seriam menores. Hoje, é difícil imaginar um país e até mesmo um mundo onde os motoristas não sejam figuras tão essenciais. O Brasil é movimentado sobre rodas e conduzido pelas mãos desses profissionais que transportam alimentos, combustível, medicamentos e pessoas.

Não só a economia e a ligação entre as pessoas que dependem deles, mas as nossas vidas. Quando entramos em um ônibus criamos uma relação imediata de confiança com a pessoa que está atrás do volante, afinal, ela guardará a nossa segurança. Não é à toa que a data escolhida é o Dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas.

O peso da responsabilidade é, definitivamente o que mais preocupa os motoristas. De acordo com Danilo Larazin, motorista da Primar Viagens, isso se torna ainda mais intenso em virtude do perigo das estradas. “Preciso garantir a integridade física do passageiro, a chegada até o destino, mas o maior desafio hoje são as estradas. Somos conscientes do que estamos fazendo, mas não sabemos a cabeça da pessoa que vem de frente e precisamos estar atentos constantemente”, conta.

Foto de Danilo Larazin da Primar Viagens uniformizado para o trabalho no Dia do Motorista
Na foto, Danilo Larazin está uniformizado para o trabalho com uma roupa semelhante a que seu pai usava em sua infância e que ele admirava (Foto: arquivo pessoal)

Opinião compartilhada por Genilson Marcos da Silva, motorista da Linhatur, que também acha que é importante ter fé. “A parte mais difícil é o trânsito, porque é muito perigoso e temos medo da imprudência das pessoas. Porém, não podemos desistir e temos que fazer o nosso melhor e ter muita fé”, esclarece.

Leia também: Motorista mulher, sim senhor!

Mais do que uma profissão, um sonho 

Com direito ao clichê, Dia do Motorista, na verdade, são todos. Afinal, basta um único dia sem esses profissionais estarem nas estradas brasileiras para haver muitos problemas. Contudo, não foi a grande importância da profissão e o significado dela que motivaram Danilo, Aguinaldo e Genilson decidirem que se tornariam motoristas. Foi sonho. Um sonho com origem na família, nas brincadeiras de criança ou na vontade de melhorar de vida. 

Para Aguinaldo Vieira, motorista há 35 anos  também funcionário da Primar Viagens, a paixão pelo volante veio da berço. “Decidi ser motorista em 1985 quando tirei minha habilitação e, naquela época, todo garoto era apaixonado por ônibus e caminhão. Em 85 eu não tinha muito contato com ônibus, mas com caminhão sim, afinal era o que os meus parentes faziam (motoristas de caminhão), mas não era o que eu gostava, porque gosto de lidar com o público”.

Aguinaldo funcionário Primar Viagens pronto para embarcar no Dia do Motorista
Aguinaldo adora desenhar e ficar com a família nas horas vagas (Foto: arquivo pessoal)

Para migrar para o ônibus não demorou muito para ele, que recebeu um convite de um grande amigo. Até hoje ele considera esse amigo o seu maior incentivador para ser motorista. “Ele me convidou para trabalhar com ele fazendo turismo em São Paulo e eu cheguei no dia seguinte ao convite. Aí começou a minha trajetória com ônibus”, acrescenta.

Já Danilo teve como exemplo e incentivo o seu pai, motorista há 33 anos. “Eu o acompanhei muito e vivia com ele pra cima e para baixo. Tenho amor por ônibus desde pequeno. Eu via meu pai se arrumando, colocando a camisa, a gravata e eu achava que ele ficava todo bonito para dirigir e queria ser igual. É um sonho de criança que virou realidade e eu lutei bastante para chegar onde estou”.

O sonho que virou mudança de vida

Para Genilson o Dia do Motorista tem sabor especial. Afinal, para ele que tem origem pobre, nascido na zona rural do interior de MG, ser motorista significou uma profunda mudança de vida para melhor. 

“A maior dificuldade foi o fato de eu sempre ter morado no interior em terras de lavoura que não eram as nossas. Era uma realidade de ter apenas o suficiente. Quando fui tirar minha habilitação ninguém me apoiou. Fui na autoescola e o dono permitiu que meu patrão assinasse para ser avalista para pagar até o outro ano, mas meu patrão disse que não era avalista de ninguém”. 

Porém, Genilson não desistiu no primeiro não e conseguiu que o seu pai fosse o seu fiador. Entre 2007 e 2008 ele tirou habilitações entre as categorias A e D, mas isso não foi o suficiente para conseguir atuar como motorista na roça. A convite de um amigo ele se mudou para Betim, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte e sua história começou a mudar. Ele trabalhou como ajudante de depósito, servente de pedreiro, entregador de gás em moto, até ser convidado para fazer o teste em uma empresa de ônibus urbano.

“Não fui muito bem no teste, porque não tinha experiência com ônibus, mas me aceitaram como manobrista. Fiquei uns 3 meses e me liberaram para dirigir na rua”, conta.

Depois de três anos nessa empresa, em 2015, ele pediu demissão e comprou um terreno para sua família na roça, mas aí veio a crise e ele teve dificuldade de se recolocar no mercado, até que foi indicado para uma vaga na Linhatur, parceira da Buser em BH. “Nunca tinha entrado num Duble Deck (ônibus de dois andares)  e meu sonho era trabalhar em um, mas peguei fácil e me desenvolvi”, acrescenta.

Genilson posando uniformizado em frente ao ônibus para o Dia do Motorista
Genilson no trabalho (Foto: arquivo pessoal)

O motorista da estrada e o homem do lar

A nossa profissão diz muito sobre nós, mas não tudo. Todos esses profissionais têm as suas histórias e os seus gostos pessoais. 

Hora do descanso para Aguinaldo significa estar em família e desenhando. É com o lápis e papel que ele relaxa. “Nas horas vagas gosto de desenhar, de ficar com a minha filha e cuidar da minha família. Mas é quando estou desenhando que fico em paz. São traços bem simples na esperança de me aperfeiçoar em um desenho realista, porém a cada traço e cor, aquilo trás tranquilidade e te coloca distante dos problemas. Eu  coloco o meu sentimento no desenho”, afirma.

Já Genilson gosta mesmo é de estar na roça. É em meio às lavouras e aos animais que ele encontra sua paz, mas o seu hobby é correr. Ele começou em 2017 e de lá para cá tem corrido cada vez mais. “Já corri até na Volta Internacional da Pampulha. Gosto de praticar porque é bom para saúde, para o corpo e para mente”, pontua.

Genilson com seu Hobby para o Dia do Motorista
Genilson praticando seu hobby: a corrida (Foto: arquivo pessoal)

Danilo, que já foi bombeiro por oito anos, gosta mesmo é de ficar em casa e aproveitar todo o tempo disponível que tem com a sua família. Por mais incrível que pareça, ele diz que seu hobby das horas vagas é falar sobre o trabalho. “Fora do ambiente de trabalho ainda continuo sendo motorista. Gosto de falar da minha profissão e das minhas experiências com a minha família”, conta. 

No Dia do Motorista, a devoção pelos passageiros e pela estrada

Para muita gente, pensar em um motorista é imaginar uma pessoa atrás do volante desafiando a estrada todos os dias e é isso também, mas não só. Ser motorista é receber pessoas, atendê-las e conduzi-las. Mais do que bom condutor de um veículo, ser bom motorista é ter habilidade com as pessoas. E todo mundo se lembra de um motorista pelo atendimento, não é mesmo?!

De acordo com Aguinaldo Vieira, a sua prioridade é sempre atender a todos com excelência. “Adoro lidar com as pessoas de vários jeitos e tipos e o passageiro é a minha prioridade. Preciso recebê-lo bem independente do problema que eles possam ter ou de como eles me abordam”, esclarece.

Para Danilo, o que faz o passageiro voltar é, certamente, o atendimento. “Tenho certeza que esses passageiros irão procurar aqueles motoristas que lhes atenderam bem e eu acredito que cada amizade de passageiro foi Deus que mandou”.                 

Contudo, Aguinaldo conclui que nada é mais gratificante na profissão do que a liberdade das estradas e a possibilidade de descobrir lugares.  “A parte mais interessante de ser motorista é esse prazer de conhecer lugares, pessoas e culturas diferentes. Eu viajo o mundo sobre rodas, conhecendo paisagens, pessoas, lugares e não existe coisa melhor do que isso”, conclui.                                          
E aí, gostou de conhecer as histórias de Danilo, Aguinaldo e Genilson? Aposto que você já cruzou com algum deles por aí. Então, que tal conhecer outras histórias e saber de todas as novidades da Buser? Acesse o nosso Blog e fique por dentro. Até breve!      

Como funciona o aplicativo da Buser? Confira o passo a passo

Como funciona o aplicativo da Buser? Confira o passo a passo

Quer viajar com muito mais praticidade, preços justos, sem filas e sem precisar ir até uma rodoviária? Então saiba como funciona o aplicativo da Buser a seguir

Viajar de ônibus do jeito tradicional pode ser uma dor de cabeça. É preciso planejamento, ir até uma rodoviária comprar a passagem, são oferecidas poucas formas de pagamento o preço é alto e o conforto quase nulo. Porém, o mundo mudou e as exigências das pessoas também. Com o objetivo de revolucionar a experiência das pessoas ao viajar de ônibus, surgiu a Buser: plataforma que faz intermediação de viagens, unindo as pessoas que querem viajar para um mesmo destino às empresas de fretamento executivo. 

O mais legal é que a Buser faz tudo isso de forma prática e sem burocracia, afinal, processo de reserva da viagem é feito digitalmente. Além disso, a experiência é diferenciada, com um serviço mais confortável (ônibus cama, leito e semi-leito); mais seguro (telemetria, câmera de fadiga e sensores de cinto de segurança) e, principalmente, por preços muito mais baixos (viagens até 60% mais baratas que o convencional).

Quer entender mais sobre como funciona o aplicativo da Buser e o passo a passo para viajar? Então continue a leitura.

Como funciona o aplicativo da Buser?

Seja pelo aplicativo ou pelo site, o processo para viajar de Buser é muito simples e esse é um dos nossos diferenciais. Não pense que na Buser você vai comprar uma passagem na rodoviária, enfrentar filas e pagar pelo que você não usa. Tudo é digital, seguro e você faz tudo pelo app ou site. Depois, é só aparecer no dia da viagem com documento oficial com foto. 

O processo online vai da busca à reserva da viagem e vamos mostrar o passo a passo a seguir:

1- Busque pelo trecho desejado

No site ou aplicativo, a primeira tela é a de busca. Por lá é preciso colocar a cidade de origem e o destino desejado. Além de preencher a cidade, para uma busca mais direcionada, é preciso colocar a data de ida e de volta (se houver) e apertar “Buscar”. Assim, a tela que aparecerá em seguida representará os resultados de ida e volta. Outra informação interessante é que na mesma tela também é possível verificar as chances de confirmação da viagem.

2- Instruções de segurança

Neste momento em que vivemos uma pandemia, tanto no site quanto no app, aparece um alerta com as nossas instruções de segurança. É importante verificar essas instruções antes de escolher viajar. Afinal, nesta página, localizada no menu “Saiba mais” como na imagem acima, mostramos quais são os novos protocolos de segurança da Buser e de suas transportadoras parceiras contra o coronavírus, bem como listamos os deveres dos nossos clientes.

3- Escolha o horário e classe do assento

Depois de fazer a busca é possível verificar os horários disponíveis e os preços. Dessa forma, escolha o que for mais apropriado para você selecionando a viagem clicando em “Selecionar”, ou a setinha no app (como aparece na imagem). Em algumas viagens há mais de um tipo de classe assento (ex: cama e leito) com preços diferentes. 

4- Confirme a reserva

Depois de escolher o horário e classe de assento, é preciso colocar os dados das pessoas que vão viajar e, depois de incluir, é só continuar.

5- Confirmação e pagamento

Depois de escolher a classe de assento, horário e incluir os viajantes, é hora de conferir o valor final, bem como as informações da viagem (como o endereço do ponto de embarque). Se estiver tudo certo, selecione o botão “Confirmar reserva”. 

6- Agora é só viajar

Depois de feito todo o processo, você só vai precisar comparecer na data e hora do embarque para viajar. As informações sobre o seu embarque aparecem em “Informações da viagem” no seu app. Também enviamos um e-mail para todos que fazem a reserva pelo site ou pelo aplicativo e nessa comunicação você vai receber o endereço e instruções paras o embarque.

 Por fim, no app você consegue conferir, a qualquer, momento a lista de documentos válidos para apresentação no embarque, nome do motorista, empresa, endereço de embarque, status de confirmação e mapa. É só clicar em “Viagens” e depois em “Próximas”. Não precisa imprimir nada para levar na viagem

Ainda em dúvida?

Se depois deste passo a passo você ainda tiver dúvidas, é só ler a aba Me Ajuda no site ou no app. Lá temos um FAQ com todas as perguntas e respostas mais frequentes.

Para saber mais sobre a Buser e entender porque somos tão diferentes das empresas tradicionais leia: Saiba o que é a Buser e o que a diferencia das empresas tradicionais

Agora que você já sabe como viajar de Buser, é só preparar as malas e escolher o destino. 

E aí, gostou do passo a passo? Então acompanhe todas as nossas dicas e novidades no Blog da Buser. Até a próxima!

Pensando na próxima viagem? Conheça os 5 destinos surpreendentes para viajar de ônibus

Pensando na próxima viagem? Conheça os 5 destinos surpreendentes para viajar de ônibus

Veja os melhores destinos viajar de ônibus com fácil acesso e, ainda por cima, gastando pouco

Viajar de ônibus tem muitas vantagens. Além de sair mais barato e ser possível direcionar mais investimentos com a estadia, por exemplo, a logística de deslocamento acaba se tornando mais simples se você escolher uma cidade com acesso fácil. Todo mundo que viaja de avião com frequência sabe que, normalmente, os aeroportos são muito distantes e é preciso desembolsar um bom dinheiro com táxi, carros de aplicativo ou mesmo ônibus que fazem translado do aeroporto para a cidade. 

Então, que tal aproveitar o tempo de ganho com a quarentena para planejar a próxima viagem e escolher um destino com acesso facilitado de ônibus? Confira, abaixo, as melhores destinos para viajar de ônibus no Brasil.

Belo Horizonte

Foto do prédio projetado por Niemayer em Belo Horizonte, cidade ideal para viajar de ônibus.

Belo Horizonte é uma cidade com acesso facilitado de grande parte das regiões brasileiras e excelente para fazer turismo de qualidade e gastando pouco. Além de aproveitar a cultura gastronômica da cidade em “points” como o Mercado Central, Feira Hippie, Mercado Novo e Edifício Maletta, BH ainda é um lugar repleto de arte e rodeado de paraísos naturais, como a Serra do Cipó, o vilarejo de Macacos e a Serra da Moeda. Locais onde é possível aproveitar belas cachoeiras, trilhas e esportes radicais.

De Buser a sua viagem para BH é mais barata, confortável e prática. Além disso, o desembarque e embarque é realizado na região central da cidade, perto de tudo.

Vitória

Foto aérea da capital do Espírito Santo, Vitória. Destino ideal para viajar de ônibus.

Vitória é a capital do estado do Espírito Santo. Com acesso fácil, principalmente das cidades da região do sudeste, é um local que tem muito a oferecer e por preços razoáveis. Por lá é possível curtir belas praias e aproveitar a forte gastronomia regional litorânea se deliciando com uma moqueca capixada ou um peroá frito. 

É indispensável visitar o Centro Histórico, com destaque para o Palácio Anchieta. Outro passeio imperdível é o Santuário de Nossa Senhora da Penha, localizado na cidade vizinha de Vila Velha. A 500 metros do mar, e contruído em cima de um penhasco, o edifício ostenta no seu entorno a imponente mata atlântica.

Na Buser, temos alguns trechos para Vitória em ônibus muito confortáveis e por preços acessíveis.

São Paulo

Foto da cidade de São Paulo, excelente destino turístico e ótimo para viajar de ônibus.

São Paulo é a maior cidade do Brasil e com acesso de todos os cantos. Por lá há muitos atrativos culturais, históricos, além de uma vida noturna muito agitada. 

Se for escolher este destino, não deixe de visitar o Mercadão Municipal, a Feira da Liberdade e um dos excelentes bares da Vila Madalena.

De Buser é muito fácil e barato ir a São Paulo. Temos diversos trechos disponíveis para a cidade com desembarque na região do Tietê, ao lado do metrô que dá acesso à todas as regiões da cidade.

Curitiba

Curitiba é uma cidade com excelentes atrativos turísticos e muito boa para viajar de ônibus.

Curitiba é uma cidade diferenciada do ponto de vista turístico e com fácil acesso de outras localidades do Brasil. Saindo de São Paulo ou da região sul, não são muitas horas de viagem.

A capital do Paraná é repleta de parques e áreas verdes, com uma arquitetura muito interessante, um centro preservado, além de dispor de muitos bons restaurantes e cafés famosos. 

As operações da Buser estão temporariamente paralisadas na cidade em virtude de uma luta judicial, mas em breve retomaremos diversos trechos para a cidade por preços muito acessíveis.

Brasília

Foto aérea do lago Paranoá, em Brasília. Cidade que vai além do paraíso arquitetônico e é um lugar muito bom para se conhecer de ônibus.

Para os amantes de arquitetura não há melhor lugar para se visitar no Brasil do que Brasília. Mas não pense que a cidade vive apenas de prédios governamentais belíssimos. Por lá, é possível encontrar também muitos parques e o grande e belo Lago Paranoá. 

Em Brasília também come-se muito bem. É uma cidade com excelente infraestrutura gastronômica, até mesmo em virtude de ser a casa de políticos, juristas e diplomatas importantes. Aos fins de semana a capital fica ainda mais interessante por ser contra fluxo de políticos que apenas trabalham na cidade.

Na Buser temos viagens para Brasília com muito conforto e preços excelentes.

Gostou das nossas dicas? Então confira muitas outras dicas de viagem no Blog da Buser. Até a próxima!

Buser inova em segurança como forma de prevenção contra o Coronavírus

Buser inova em segurança como forma de prevenção contra o Coronavírus

Medidas de prevenção contra o Coronavírus são novidade no transporte rodoviário brasileiro e têm proporcionado mais segurança aos clientes Buser

Desde o dia 26 de junho, nossas operações têm sido retomadas de forma gradativa. Antes disso, por mais de três meses, paralisamos 100% das nossas atividades como forma de conter a disseminação do vírus e entender as mudanças que precisávamos promover. Esse tempo foi suficiente para que planejássemos um retorno diferente, adequado às mudanças que a pandemia promoveu na sociedade. Agora, a Buser tem feito a intermediação de viagens junto às empresas parceiras com muito mais segurança, que foi reforçada por novos protocolos de prevenção contra o Coronavírus que têm sido seguidos à risca. Na contramão de outras empresas, a nossa prioridade é sempre a segurança e o bem-estar de nossos clientes e queremos deixar claro, neste post, de que forma colocamos isso em prática todos os dias.

Nossas medidas de prevenção contra o Coronavírus

Para proporcionar mais segurança aos nossos viajantes, criamos novos protocolos, que podem ser conferidos na íntegra AQUI. Porém, acredito que você queira saber como isso tem funcionado na prática, certo? Então, vamos te mostrar a seguir:

Cabines de desinfecção

As cabines de desinfecção têm sido acionadas antes de cada viagem em nossos embarques de maior fluxo. Nos pontos onde ela foi instalada, todos os passageiros das empresas parceiras, sem exceção, precisam passar por ela antes de embarcar, proporcionando mais segurança para todos. 

Álcool gel

Antes do embarque, todos os nossos clientes recebem um frasco de álcool gel 70% como o da foto. Assim, facilitamos a higienização das mãos em quaisquer momentos em que os passageiros considerarem necessário. 

Medição de temperatura

Todos os usuários têm sua temperatura mensurada por um termômetro infravermelho. Passageiros das transportadoras parceiras com temperatura até 37,8º podem embarcar.

Proteção entre as poltronas

Para tornar os espaços do ônibus mais individualizados, proporcionando mais segurança no trajeto, em alguns veículos foram adicionadas proteções plásticas nas poltronas que são higienizadas com rigor após cada viagem.

Uso obrigatório de máscara

Ninguém pode embarcar nos ônibus sem estar usando máscara e todos precisam permanecer com as mesmas no rosto durante toda a viagem, sob risco de precisarem desembarcar caso a norma seja descumprida. Para reforçar a importância do uso da máscara, adicionamos alertas sobre o uso nos pontos de embarque, nos veículos e temos trabalhado junto às empresas parceiras para que façam cumprir essas regras.

Marcação na fila de embarque

Alguns pontos de embarque também receberam marcações para que os passageiros se organizem mantendo a distância recomendada na hora do embarque.

Reforço na higienização 

As transportadoras parceiras fizeram mudanças no processo de higienização dos ônibus após cada viagem realizada, incluindo estofados e encosto de cabeça, utilizando produtos aprovados e indicados pela Anvisa.

Protocolos testados e aprovados

Estamos avaliando, constantemente, os nossos protocolos de prevenção contra o Coronavírus por meio de pesquisas e acompanhando os embarques quem têm sido realizados no Brasil. Mais do que nunca, a nossa equipe está preocupada com a qualidade do serviço que temos oferecido aos nossos clientes. 

Depois de algumas semanas, já podemos dizer que a percepção e a sensação de nossos clientes tem sido muito positiva quanto aos nossos novos protocolos. Uma pesquisa interna atestou que 92% das pessoas que viajaram conosco após a retomada operacional se sentiram seguras ou muito seguras durante a viagem.

Marcos Biava é nosso cliente há mais de um ano e foi surpreendido positivamente com a viagem feita no primeiro dia de nossa retomada operacional. “Eu precisei viajar de ônibus quando a pandemia estourou com outra empresa e foi uma experiência traumática. O ônibus estava lotado, tinha gente sem máscara e tossindo. Agora, depois da reabertura da Buser, fiz a primeira viagem de São Paulo para o interior e fiquei bem surpreso. Estava esperando ter uma experiência tensa, mas fiquei bem feliz com as medidas de segurança. Mediram a temperatura das pessoas, fizeram as recomendações de segurança, todos estavam longe um do outro e tinha metade da lotação. Além disso, recebemos álcool gel e fomos orientados a permanecer de máscara. Foi outra sensação”, declara.

A percepção de Marcos foi reafirmada por outra cliente, Beatriz Secchim, que também viajou conosco depois da retomada das operações. “Precisei fazer uma viagem recentemente, após retomarem a operação, e me surpreendi com o cuidado. Tiraram as cortinas para deixar o ambiente mais higienizado, colocaram um protetor descartável em cada assento – o qual devíamos retirar ao final da viagem –, e entregaram um mini álcool em gel. Fora o cuidado com o uso de máscaras”, pontua.

Palavra do presidente

O CEO da Buser, Marcelo Abritta reforça que, mesmo em um contexto tão delicado, vamos continuar sendo uma alternativa melhor para oferecer aos brasileiros a oportunidade de escolherem: “Continuaremos oferecendo acesso a alternativas com segurança, neste momento em que, mesmo com a pandemia, muitas pessoas precisam viajar. Permaneceremos com preços mais acessíveis, o que será muito importante para a população, tão machucada pela crise, neste momento de retomada”, afirma Abritta.

Quer saber mais sobre a Buser? Leia também: O que é a Buser e o que a diferencia das empresas tradicionais?

E aí, gostou de saber das nossas novidades? Então acompanhe tudo sobre a Buser em nosso blog. Até breve!

Aniversário da Buser: 3 anos de superação e inovação no transporte interurbano

Aniversário da Buser: 3 anos de superação e inovação no transporte interurbano

Conheça a história da startup que nasceu para mudar a forma como o brasileiro viaja de ônibus: com mais segurança, conforto e preços justos

Hoje é dia 07 de julho de 2020 e há exatamente três anos a Buser fazia [ou tentava fazer] a sua primeira intermediação de viagem rodoviária de ônibus. De lá para cá muita coisa mudou e a empresa ganhou tamanho, importância, muitos funcionários e defensores. A Buser se tornou a grande protagonista de uma luta justa por um transporte de ônibus interurbano mais democrático.

Hoje, são mais de 2 milhões de usuários no Brasil e mais de R$ 150 milhões economizados em viagens de ônibus pelos brasileiros. Estamos em quatro das cinco regiões do país e transformando a experiência das pessoas com as viagens de ônibus. Essa história está apenas começando, mas hoje resolvemos contá-la para você que nos acompanha e para quem tem curiosidade de saber, afinal, quem é a Buser?

Como tudo começou

A Buser foi fundada por dois Marcelos, o Marcelo Abritta e o Marcelo Vasconcellos. Além do nome, os dois têm muito em comum: a cidade de origem: Belo Horizonte – MG e uma amizade de infância que surgiu ainda na época de colégio.

Na vida adulta cada um tomou um rumo. O Marcelo Vasconcellos desenvolveu uma carreira sólida em uma empresa de investimentos e o Marcelo Abritta desenvolveu alguns empreendimentos. Um dia o Marcelo Vasconcellos teve uma ideia de empreendimento e ligou para o Abritta, que não achou a ideia boa, mas ele tinha uma melhor: a Buser.

O curioso é que essa ideia surgiu quando ele foi casar na Bahia. Alguns de seus familiares não compraram passagens aéreas com antecedência e perceberam que o preço estava impraticável em cima da hora, então, teriam que ir de ônibus. Abritta resolveu ajudar e percebeu que o valor de todas as passagens de ônibus somadas era mais que o dobro do que o valor do fretamento de um ônibus para levar todos, permanecer na Bahia durante o período de estadia e trazer os familiares de volta.  

Vasconcellos achou a ideia muito boa e insistiu para que eles a colocassem em prática. “Eu tinha umas premissas de mercado financeiro, ramo em que eu trabalhava, que me fizeram acreditar que isso tinha chance de dar certo.  Então, a gente fez umas peças de propaganda falando do serviço e eu ia divulgando nos grupos de carona do Facebook. Numa dessas, um jornalista de um portal de notícias de Ipatinga – MG descobriu a gente e fez uma reportagem. A página que criamos no Facebook viralizou. Saiu de 500 pessoas cadastradas, que era basicamente networking meu e do Abritta para 15 mil em um mês”, conta.

A primeira viagem

Depois do sucesso da página, a pressão para fazerem a primeira viagem aumentou. “A gente pensou: temos que fazer essas viagens logo, senão as pessoas vão achar que a gente está mentindo. E aí a dúvida era pra onde. Como foi feita essa reportagem do portal de Ipatinga, teve muita gente pedindo pra gente fazer viagem para lá e aí a gente marcou para 07/07 a nossa primeira viagem com destino a Ipatinga-MG”, diz Vasconcellos.

Porém, nessa história nem tudo são flores. Na verdade, de muitos percalços se fazem a Buser e não foi diferente na primeira viagem, que acabou nem saindo. “Pesquisamos tudo direitinho para ir numa sexta e voltar no domingo. Seguimos as leis do fretamento e, mesmo assim, no dia da viagem, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de MG entrou com um processo. A viagem não saiu mesmo, mas deu uma repercussão muito grande, porque a mídia cobriu”, complementa. 

Foto da primeira viagem da Buser fazendo intermediação de transporte executivo de ônibus.
A foto acima foi tirada no dia da primeira viagem da Buser que não pode acontecer. O CEO da Buser, Marcelo Abritta está de camisa vermelha e à direita dele, de azul, está Marcelo Vasconcellos, Co-founder (Foto: arquivo pessoal)

A repercussão acabou trazendo bons frutos. Com ela muita gente soube da empresa e alguns amigos de Marcelo Abritta que já tinham startups resolveram investir na Buser. Foi neste momento que ela realmente nasceu como uma empresa.

O sonho de ser grande

A Buser não é uma empresa comum que nasceu pequena para ir crescendo aos poucos, ela já nasceu comprando grandes brigas com oligopólios.  “Já nascemos pensando em sermos grandes. Já sabíamos que não tinha como esse projeto ser muito pequeno porque os adversários eram grandes e o tipo de investidor que estaria disposto a apostar na gente não teria interesse em um projeto pequeno. Além disso, eu acredito naquilo que Jorge Paulo Lehmann diz: sonhar grande e pequeno dá o mesmo trabalho, então é melhor sonhar grande”, conta Abritta.

Vasconcellos ainda complementa que o fundamental para o nascimento de uma startup ambos tinham, que era ter claro qual problema enfrentavam. “O Brasil é um país pobre onde as pessoas viajam de ônibus. Começou quase como uma causa política, porque o sistema era errado. Ele transferia renda do pobre para o rico. A gente tinha claro qual era o problema”, esclarece.

Marcelo Abritta complementa: “e o problema não era o preço, o problema era a arquitetura do sistema. O preço alto é uma consequência do problema”. 

Um negócio que só cresce

De julho de 2017 até agora, três anos se passaram e muita coisa aconteceu. Nesses três anos a Buser foi de quatro pessoas para 70, recebeu três aportes de investimento, sendo o último e o mais significativo no fim de 2019. Chegamos a 1 milhão de usuários e pouco tempo depois a 2 milhões e os brasileiros já economizaram R$ 150 milhões viajando pela Buser. Porém, alguns dos momentos que mais marcam a nossa história são as sentenças judiciais que são dadas a nosso favor e uma delas mudou tudo. 

Equipe da Buser, empresa de intermediação de transporte no dia em que comemoraram 2 milhões de usuários
Parte da equipe em frente ao antigo escritório quando completamos 2 milhões de usuários (Foto: arquivo pessoal)

“A primeira decisão a nosso favor foi a mais importante, em abril de 2018 na justiça de MG. Foi ali que tudo mudou, porque antes dessa decisão a gente fazia uma viagem por fim de semana para São Paulo ida e volta em apenas um ônibus. E quando saiu essa decisão passamos a fazer viagens todos os dias”, conta Abritta.

Confiar nesse crescimento não impediu que os fundadores da Buser tivessem medo de morrer na praia em alguns momentos. Em 2018 o dinheiro quase acabou, mas aí as viagens começaram a encher uma atrás da outra nas férias de julho e continuaram assim depois. Isso aumentou a confiança dos investidores e fez com que a empresa recebesse mais investimentos. “O objetivo passou a ser fazer 30 trechos com 60 ônibus e fizemos tipo 80 com pouco mais de 100 ônibus e isso deu segurança para outros investidores.  Aí chegamos ao fim de 2019, quando o Soft Bank investiu.  Vale destacar que sempre estivemos uns dois ou três meses à frente das projeções dos investidores. Foi necessário acontecer uma pandemia global para a gente parar de crescer”, diz Abritta.

Apenas o início

A Buser ainda está longe de chegar onde quer, afinal, o propósito da empresa é muito claro: transformar o jeito como os brasileiros viajam de ônibus, sendo uma alternativa melhor. Este sonho já começou a ser executado, mas ainda não chegamos onde podemos chegar. E segundo Marcelo Vasconcellos, o propósito da empresa atraiu pessoas fora da curva para compor o time que está lutando todos os dias para essa transformação acontecer. “O legal de querer melhorar a vida dos brasileiros é que a gente achou pessoas que sonham do mesmo jeito que a gente e que têm esse propósito como parte da vida delas também. As pessoas sabem o que deve ser feito e a gente nunca precisou dizer nada. Se a Buser dá certo é melhor pro Brasil e isso engaja”, pontua.

Foto de um andar do atual escritório recém-inaugurado (Foto: arquivo pessoal)

No fim das contas, como a Buser quer mudar essa situação? Nós fazemos intermediação de viagens com empresas de fretamento executivo. Assim, ajudamos dois lados: o do passageiro que precisa viajar com conforto, segurança e preços justos e o da empresa de ônibus que precisa de passageiro. Tudo isso é feito de forma legal do ponto de vista jurídico e de forma transparente. “A gente consegue se unir às empresas de fretamento e levar isso a todo mundo do jeito certo. Nos juntamos para combater o inimigo real”, esclarece Abritta.

Coincidentemente, no momento em que a empresa comemora três anos ela enfrenta outra luta judicial. Leita também: O Sul não pode retroceder

Um negócio e um propósito

A intenção da Buser é oferecer concorrência, uma contrapartida aos grandes oligopólios e mudança de paradigma. Muitas empresas de ônibus são dos mesmos donos e não há concorrência, assim como não havia com os táxis. Não se trata de quebrar ninguém, pois há espaço para todos. O ponto é apenas oferecer uma outra opção. Porém, no Brasil quem nasce para ser uma opção também nasce como um alvo, mas a Buser não se cansou até hoje e nem vai, pois ainda somos muito menos do que pretendemos ser no Brasil. 

“A gente tem coragem de enfrentar esse problema. Todo mundo sabe e sempre soube exatamente qual é ele, mas enfrentá-lo é o que nos torna diferentes. Tudo de bom [e de ruim] que aconteceu foi consequência disso”, acrescenta Abritta.

E aí, gostou de saber da nossa história? Nós temos outras contadas no Blog da Buser. Acesse e saiba de tudo.

Até a próxima!

O Sul não pode retroceder

O Sul não pode retroceder

Apesar dos avanços promovidos por empresas de tecnologia como a Buser na mobilidade interurbana, decisões judiciais podem impedir o funcionamento da empresa na região. Entenda.

Em meio a uma das maiores crises mundiais de saúde da história, pedimos licença para trazer a você outro tema: o futuro do transporte interurbano no Sul do Brasil está ameaçado. Na contramão de outras regiões do país, processos em tramitação no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) contra a Buser e suas parceiras podem impactar a vida de mais de 11 milhões de pessoas no Sul. O primeiro da série de julgamentos acontece no próximo dia 18 de agosto, em Santa Catarina.

Decisões como essas podem afetar profundamente o seu direito à mobilidade e nosso dever é informar você. Saiba, a seguir, quem é a Buser e como isso pode afetar a vida dos sulistas.

Inovação e democratização do transporte

A Buser é uma empresa de tecnologia que está trabalhando, com uma série de empresas transportadoras parceiras, para democratizar o transporte interurbano no Brasil com viagens de ônibus mais baratas, confortáveis e seguras. Já são mais de 2 milhões de usuários no Brasil e outras regiões do país já economizaram, juntas, R$150 milhões de reais viajando com a Buser somente nos últimos dois anos.

Tecnologias como a Buser e de outros aplicativos de mobilidade urbana revolucionam a maneira como as pessoas se movimentam e viajam pelo país, fortalecendo a liberdade de escolha e, principalmente, suprindo a necessidade de transporte acessível e eficiente.

Processos que ameaçam o progresso

Algumas ações judiciais na região sul defendem que essas inovações proporcionadas pela Buser sejam qualificadas como transporte clandestino. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região tem decisões em suas mãos que podem garantir a vitória da liberdade de escolha dos cidadãos. O primeiro julgamento foi adiado em virtude da pandemia e foi remarcado para 18 de agosto.

A Buser oferece viagens de ônibus com preços menores, mais conforto e mais segurança e essas decisões podem atrapalhar o desenvolvimento de mais de 60 cidades no Sul do Brasil que somadas possuem população superior a 12 milhões de pessoas. Ao todo, serão mais de 5.000 km de rodovias do sul onde a mobilidade do futuro pode não chegar.

Além de atrapalhar a conexão das capitais do Sul com o restante do Brasil, a proibição da Buser afetaria internamente a liberdade de escolha por um transporte mais democrático com partida ou destino para cidades como as listadas a seguir.

CIDADES MAIS AFETADAS

Rio Grande do Sul:

  • Porto Alegre
  • Caxias do Sul
  • Pelotas
  • Rio Grande
  • Santa Maria
  • Capão Redondo
  • Torres
  • Passo Fundo
  • Santa Rosa
  • Uruguaiana
  • Bento Gonçalves
  • Santiago
  • São Borja
  • Santana do Livramento
  • Cachoeira do Sul
  • Bagé
  • Vacaria
  • Lajeado
  • Santa Cruz do Sul

Santa Catarna:

  • Florianópolis
  • Balneário Camboriú
  • Joinville
  • Blumenau
  • Criciúma
  • Tubarão
  • Lages
  • Rio do Sul
  • Joaçaba
  • Chapecó
  • Concórdia
  • Xanxerê
  • São Bento do Sul
  • Mafra

Paraná:

  • Curitiba
  • Londrina
  • Maringá
  • Ponta Grossa
  • Paranavaí
  • Arapongas
  • Cascavel
    Foz do Iguaçu
  • Guarapuava
  • Francisco Beltrão
  • Pato Branco
  • Campo Mourão

Decisões judiciais favoráveis

Vale ressaltar que outro processo movido pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado de São Paulo (SETPESP), de tom semelhante, foi vencido pela Buser. 

Leia também: Buser ganha ação movida por sindicato das empresas de transporte de passageiros, em São Paulo

Na sentença, o Juiz Tom Alexandre Brandão entendeu que o serviço oferecido pela Buser é de intermediação entre empresas transportadoras e passageiros, como mostra o trecho a seguir: “A ré promove, em realidade, uma aproximação de forma extremamente qualificada entre os passageiros e as empresas que são autorizadas a prestar serviços de fretamento particular; mas isso não se confunde, friso, com linhas regulares de transporte intermunicipal tradicionalmente realizadas em rodoviárias. A ré catapultou as possibilidades de interação entre passageiros e as empresas que prestam serviços de fretamento, alterando de forma significativa esse mercado de transporte coletivo (…)”.

Aval do STF

O próprio Supremo Tribunal Federal (STF) já se impediu, em decisão do Ministro Edson Fachin, que processos locais em que a Buser vinha obtendo vitórias importantes fossem revertidos.

A conquista favorável à Buser em São Paulo e outros estados evidencia que a justiça  já compreendeu que nós oferecemos um serviço legal e fundamental. Sendo assim, o Sul do Brasil não pode retroceder. 

A Buser acredita que conectar o Brasil é conectar as pessoas e convida a população do Sul para debater a mobilidade interurbana a fim de que a região continue no caminho da liberdade de escolha, da inclusão e da tecnologia.

Acompanhe todas as novidades sobre esse caso no Blog da Buser. Até breve!

Buser volta a conectar 30 destinos com o retorno da operação

Buser volta a conectar 30 destinos com o retorno da operação

Com a volta gradativa da operação da Buser, 30 destinos já estão sendo conectados pelo Brasil. Acompanhe as atualizações da retomada operacional 

Desde o dia 26 de junho, a Buser tem retomado gradativamente a sua operação intermediando viagens entre 30 cidades para atender as pessoas que precisam viajar, apesar da pandemia. A volta das atividades tem sido feita de acordo com a flexibilização do isolamento social em algumas regiões do país. Listamos, a seguir, os trechos onde retomamos nossa operação.

Leia também: O que é a Buser e o que a diferencia das empresas tradicionais?

Conheça os trechos reabertos

Até o momento, estamos com reservas abertas para grupos de viagem em 96 trechos, conectando 30 cidades. Confira:

Vale ressaltar que estamos atentos a quaisquer mudanças no cenário. Eventualmente, essas mudanças podem interferir na continuidade da operação da Buser em destinos específicos, mas, caso isso aconteça, comunicaremos nossos clientes de maneira adequada. Além disso, lembramos que temos políticas flexíveis para cancelamento de reserva e reembolso integral, sem multas ou taxas..

Novos protocolos de segurança

A Buser tem um compromisso constante com a segurança e a experiência de seus usuários. Dessa forma, neste momento de retomada das operações em um contexto de pandemia da Covid-19, a nossa preocupação com segurança tem sido ainda mais intensa Confira alguns dos nossos novos protocolos:

Máscaras

De acordo com as novas diretrizes de saúde, é obrigatório o uso de máscara nas viagens para a segurança de todos. Sendo assim, reforçamos a necessidade de que nossos usuários levem suas próprias máscaras esterilizadas para viajar, com trocas de 3 em 3 horas. 

Álcool gel 70%

A Buser irá oferecer, também, álcool gel 70% de brinde para que os nossos usuários possam higienizar as mãos com segurança sempre que acharem necessário ao longo das viagens. Também haverá dispenser com álcool gel ativado pelo pé em alguns pontos de embarque. Na entrada dos ônibus e dos banheiros, as empresas parceiras também irão alocar outros dispensers com álcool gel.

Medição de temperatura

Todos os usuários terão suas temperaturas medidas por termômetros infravermelho. Passageiros com temperatura até 37,8º poderão embarcar.

Ocupação das poltronas da janela 

Para garantir que os usuários não viagem próximos uns dos outros, ocuparemos apenas as poltronas da janela e limitaremos as vagas disponíveis para reserva no ônibus. Assim, iremos garantir mais espaço entre as pessoas, como recomendam os órgãos mundiais de saúde.

Cabines de desinfecção

Em alguns pontos de embarque estará disponível uma cabine de sanitização individual que higieniza as pessoas que entram nela (uma por vez). Um sensor detecta a presença da pessoa e aciona a pulverização que dura 4 segundos. Isso tornará a viagem de todos ainda mais segura.

Reforço na limpeza

As transportadoras parceiras farão mudanças no processo de higienização dos ônibus após cada viagem realizada, incluindo estofados e encosto de cabeça, utilizando produtos aprovados e indicados pela Anvisa. Estamos acompanhando constantemente as diretrizes dos órgãos de saúde para a melhoria do processo a qualquer momento.

Marcações na fila de embarque

Para garantir organização e segurança na hora do embarque, haverá uma marcação no chão de alguns pontos de embarque com maior fluxo de pessoas. A marcação deverá ser respeitada por todos os usuários para que não haja proximidade entre as pessoas e aglomeração.

Motoristas fora do grupo de risco

Apenas motoristas fora do grupo de risco (idade ou doenças prévias) estão autorizados a fazer viagens intermediadas pela plataforma. 

Quer viajar de forma segura? Então vá de Buser. Clique no botão abaixo e faça a sua reserva.

Acompanhe o Blog da Buser e fique atualizado quanto a reabertura de novos trechos.

Até breve!