Autor: Buser Brasil

Planejando a próxima viagem? Conheça os destinos mais baratos do Brasil

Planejando a próxima viagem? Conheça os destinos mais baratos do Brasil

Com essa crise, o que a gente mais quer é economizar na viagem pós-quarentena, claro. Então, conheça os destinos mais baratos do Brasil e com melhor custo-benefício para sua próxima viagem

Se viajar é o primeiro item da sua lista pós-quarentena e você tem passado esse tempo todo planejando a próxima, então este post é para você! Nós sabemos que definir o destino de uma viagem envolve uma série de fatores, mas, que tal tentar começar o planejamento da  levando em consideração o custo-benefício da viagem? O custo-benefício trata-se da relação entre o preço e as vantagens, ou seja, considerar isso é escolher o destino que melhor lhe atende pelo preço que pode pagar.

Mas Buser, como eu faço isso? Bom, o jeito certo de fazer é pesquisando mesmo, pois os valores de hospedagens, alimentação e lazer em qualquer destino variam muito ao longo do ano, mas, neste texto, vamos oferecer uma lista para nortear a sua pesquisa com os destinos mais baratos do Brasil.

Leia também: O guia do mochileiro do busão: tudo o que você precisa saber para se tornar um

Mas já vai duas dicas antes: 

1- Mantenha a mente aberta. Começar um planejamento de férias já com a definição sobre para onde ir  não vai te fazer economizar. 

2- Vá de Buser! Se for possível, viaje de Buser até o destino ou o mais próximo possível dele. Afinal, a Buser oferece viagens de ônibus até 60% mais baratas que as convencionais, com mais conforto e segurança. 

Agora, vamos aos destinos?

1- Porto Seguro – BA

porto seguro na Bahia é um dos destinos mais baratos do Brasil

Porto Seguro é um destino muito desejado entre os brasileiros, afinal, lá é possível ter um pouco de tudo: boas praias, história e badalação. E a boa notícia é que a cidade, também, é um dos destinos mais baratos do Brasil. A primeira cidade do Brasil tem muito a oferecer em todos os sentidos, mas já adianto que talvez não seja a melhor opção para aqueles que gostam apenas de relaxar em uma viagem. Afinal, Porto, como os moradores a chamam, não para nunca. Tem música baiana desde a manhã até a hora de dormir!

Um dos elementos que chama mais a atenção no destino, porém, é a sua excelente rede hoteleira. É possível hospedar-se muito bem pagando bem menos do que na maioria dos destinos nordestinos. 

2- Ouro Preto – MG

Ouro Preto é um destino muito versátil. A cidade é linda, perfeitamente preservada e cada pedra das ruas centenárias conta uma história dos tempos do ouro em Minas Gerais. Contudo, a cidade é mais do que seus lindos casarios e excelentes museus, por lá, encontra-se restaurantes de alto nível a preços acessíveis, hotéis excelentes com bons preços, muita natureza e turismo ecológico pagando quase nada. E não para por aí, Ouro Preto tem, ainda, uma vida cultural e noturna agitada, com shows e apresentações de teatro e festivais durante quase todo o ano. Vale a pena ir à cidade entre maio e julho, durante a temporada de festivais.

Se for a Ouro Preto, não deixe de conhecer alguma de suas muitas cachoeiras, museus e minas desativadas. Não deixe de apreciar, também, a gastronomia local. 

3- Fortaleza- CE

Fortaleza é, hoje, um dos destinos mais baratos do nordeste. É de fácil acesso de todas as regiões do país e tem hospedagens a preços mais justos comparada a outros destinos nordestinos. Os hotéis bem avaliados com bom custo-benefício tem preços de diária que varia entre R$ 180,00 e R$ 300,00.

O ponto forte de Fortaleza são os inúmeros passeios interessantes que a cidade proporciona. São muitas praias em um litoral belíssimo, sendo algumas delas famosas no mundo todo. A capital do Ceará também tem uma vida urbana agitada e muita badalação para os que procuram. É um lugar onde se tem um pouco de tudo e bom para viajar com a família, sozinho, ou para fazer viagens românticas.

Para se divertir, não deixe de visitar o Beach Park, maior parque aquático da América Latina. Este não é um passeio só para crianças, acredite.

4- Caldas Novas – GO

A cidade de Caldas Novas é conhecida como a maior estância hidrotermal no Brasil. Contudo, para além das inúmeras piscinas artificiais e naturais, a cidade tem diversos atrativos naturais, como o Parque Estadual da Serra de Caldas e o Lago Corumbá. 

Agora, o diferencial de Caldas Novas é, de fato, a sua rede hoteleira. Por lá é possível se hospedar em hotéis com preços honestos, mas com estruturas de resort. São piscinas e mais piscinas, bares, espaços para massagem, lojas, salões de jogos, shows, tudo isso dentro dos hotéis. Então, se você estiver em busca de um lugar para relaxar, mas com o conforto de resort sem pagar muito por isso, Caldas Novas é certamente uma opção.

5- São Paulo – SP

São Paulo é a maior cidade do Brasil e com acesso de todos os cantos. Chegar em São Paulo é sempre barato e prático e manter-se lá é igualmente barato. São Paulo tem muitos atrativos culturais, históricos e tem a vida noturna mais agitada do Brasil. A cidade funciona 24h por dia, sem exageros.

Outro ponto positivo é que São Paulo tem boas hospedagens em todas as categorias e com preços extremamente competitivos. Basta ir a algum dos marketplaces de hospedagens brasileiros, escolher uma região, fazer um comparativo e pronto! 

Se for à cidade, não deixe de visitar o Mercadão Municipal, a Feira da Liberdade e um dos excelentes bares da Vila Madalena.

6- Salvador – BA

E vamos de Bahia de novo, dessa vez, Salvador, que certamente é a cidade nordestina com mais fácil acesso das outras regiões do Brasil. De fato não custa caro viajar para lá, mas o legal é que se hospedar na cidade em certas épocas do ano, também pode ser bem barato. 

Salvador também é uma cidade que agrada a quase todo mundo. Afinal, tem muita história da primeira capital do país, ou da formação étnico-cultural brasileira e tem também muita diversão. Salvador é uma cidade agitada e cheia de cultura, que emana alegria para todos os que chegam. 

Por fim, se você ainda quiser relaxar um pouco, a cidade oferece isso também, com hotéis e praias localizadas em áreas mais remotas. Também é possível pegar um barco e ir para alguma das ilhas localizadas perto da capital baiana e que proporcionam uma experiência mais intensa de contato com a natureza.

E aí, gostou das nossas dicas? Então acompanhe o Blog da Buser e confira muitas outras. Até a próxima!

O guia do mochileiro do busão: tudo o que você precisa saber para se tornar um

O guia do mochileiro do busão: tudo o que você precisa saber para se tornar um

Desde meio de transporte, até hospedagem, bagagem e dicas de segurança, este guia do mochileiro vai te dar o passo a passo para o seu próximo mochilão pós-quarentena

Hoje é dia 25 de maio e para a maior parte das pessoas esta data não diz absolutamente nada, mas para os leitores ávidos de O Guia do Mochileiro das Galáxias, uma série com 5 livros ícone da cultura pop, hoje é o Dia da Toalha. Mas Buser, o que eu tenho a ver com isso? Absolutamente nada! Porém, hoje, como no livro, vamos apresentar um guia do mochileiro, mas aí é pra viajar de ônibus mesmo. Nele, apresentaremos todas as dicas que você precisa para fazer um mochilão bom e sem gastar muito.

Fazer um mochilão pelo Brasil é mais fácil do que parece, mas é necessário preparação. Diferente do Guia do Mochileiro das Galáxias, que afirma que a resposta para tudo no universo é 42, aqui não há um único caminho ou resposta absoluta. Há várias maneiras de se fazer um mochilão: a mais econômica, a mais prática, a mais segura… tudo depende das prioridades e gostos do viajante. Bom, mas se cabe uma analogia possível e bem apropriada nesta data, carregar uma toalha não te salva de tudo, mas é um dos itens fundamentais da bagagem.

mulher com mochila nas costas, possivelmente fazendo mochilão que serve de modelo para o guia do mochileiro

Leia também: Tudo o que você precisa saber antes de viajar com crianças

Mas vamos ao que interessa. Quer conhecer guia do mochileiro que deseja viajar pelo país (porque a Buser ainda não tem parcerias para fretar ônibus espaciais)? Então, continue a leitura!

Viaje de ônibus

Quando a carona intergalática tiver liberada a gente pode até pensar, mas, por enquanto, a maneira mais econômica e segura de viajar no Brasil é de ônibus. E vamos combinar que pegar carona em qualquer circunstância não é seguro. 

Viajar de ônibus é descomplicado, pois se rolar algum imprevisto é fácil fazer mudanças e é bem menos burocrático do que viajar de avião. Contudo, se o assunto é busão, definitivamente a melhor maneira de viajar é de Buser. Com viagens até 60% mais baratas que a rodoviária, a plataforma torna a experiência da viagem mais econômica e melhor. Isso porque os ônibus são muito mais confortáveis, seguros e ainda por cima é mais prático. Não precisa ir até a rodoviária e enfrentar filas. É só fazer a sua reserva e comparecer ao embarque com um documento oficial com foto. 

E quer a dica de ouro: prefira viajar a noite. Assim, se você for passar por várias cidades, ainda economiza na hospedagem. Mas para dormir melhor, recomendamos que escolha um assento leito ou cama.

Leve pouca bagagem, mas com tudo que precisa

Algo que deve ser evitado a todo custo pelos mochileiros é levar coisas inúteis. Assim como no livro, levar toalha é imprescindível. Ela não vai te salvar de todas as situações, mas vai evitar que você precise usar uma de limpeza duvidosa. Também é muito importante levar itens de higiene básicos, pois nunca se sabe o que você vai ou não encontrar em hostels e hospedagens mais baratas. A dica principal é: leve roupas para 7 dias, mas tente não repetir muito. Ou seja, leve apenas um agasalho, uma calça jeans, entre outros. Prefira itens leves, como leggins, shorts e camisetas. Sempre leve uma mochila menor ou ao menos uma pochete com bom tamanho para os pequenos deslocamentos.

Mas Buser, minha viagem vai durar 15 dias, como levo itens para 7? Simples, use máquina de lavar. Prefira hospedagens com esse recurso. É importante carregar o mínimo possível para facilitar a sua circulação e te dar a liberdade necessária que todo mochileiro precisa. Afinal, está tudo em uma mochila e é simples sair ou chegar de qualquer lugar.

Controle seus gastos

Essa dica não vale só para mochilões, mas para qualquer viajante. É fundamental estabelecer um orçamento e controlá-lo ao longo da viagem. Cada um tem algo que prioriza em uma viagem. Para uns é um quarto privativo com banheiro e boa cama, para outros são as baladas, outros, querem comer bem e ainda tem aqueles que querem conhecer o máximo de lugares possível e para tudo isso gasta-se dinheiro. 

Priorize o ponto mais importante e economize em todos os outros. Um erro comum dos mochileiros e que coloca muitas pessoas em risco é terminar a viagem sem dinheiro. Para isso não acontecer, apesar de muitos não gostarem, reservar a hospedagem com antecedência nos dá mais opção de escolha e sai sempre mais barato.  Também é possível comprar antecipadamente vouchers promocionais de restaurantes e reservar passeios turísticos. Planejamento vai bem sempre!

Escolha a melhor época e planeje as hospedagens

Viajar na baixa temporada pode sair muito mais barato. Porém, não adianta escolher um período de baixa sem estratégia. Existem épocas chuvosas em certas regiões, ou mesmo períodos em que nada abre, então, escolha um período mais em conta, porém ainda bom para viajar para o destino que você deseja. 

Na ansiedade de poupar, muitos fazem economias pouco sábias quanto a data. A conta ideal deve ser: bem mais barato que a alta temporada, mas mais caro do que aquele período em que ninguém quer ir. 

Ah, e não deixe de planejar bem as hospedagens de acordo com o que pretende fazer. É normal mochileiros não quererem  ficar em um só lugar. Em alguns lugares pode caber um hotel no seu orçamento e em outros um camping, isso em um mesmo período. Seja estratégico, busque promoções e, como já foi dito acima, priorize fazer os deslocamentos de ônibus a noite para economizar.

Não deixe a segurança de lado

Para economizar qualquer tostão, muitos mochileiros deixam a segurança em segundo plano. Muita gente deixa de comprar uma passagem de ônibus para pegar carona com estranhos, ou então se hospeda casas de desconhecidos. Infelizmente existem muitos casos de violência aos turistas, especialmente mulheres. Então, arriscar-se para economizar nunca é uma boa escolha. Dá para economizar de outras maneiras sempre.

Também é importante não deixar seu dinheiro em um mesmo lugar: nem todo na hospedagem, nem na pochete ou na roupa. Sempre leve um extra para emergências, assim como um cartão de crédito. Informe seu itinerário sempre que puder para alguém de confiança que não esteja na viagem. Se misture com os locais para não ser identificado facilmente e sempre desconfie de pessoas desconhecidas muito simpáticas.Bom, é isso, as dicas foram dadas e espero que você tenha gostado. Acompanhe o Blog da Buser e confira outras dicas de viagem. Agora já dá para planejar o seu próximo mochilão pós-quarentena. Não vemos a hora disso tudo passar e você poder viajar pelo país. Feliz dia 25 e até o próximo mochilão. #VaideBuser

Tudo o que você precisa saber antes de viajar de ônibus com crianças

Tudo o que você precisa saber antes de viajar de ônibus com crianças

De itens de emergência a itens de segurança e documentos. Saiba tudo o que você precisa para viajar com crianças

Viajar com crianças e de ônibus exige cuidado e atenção. Além disso, planejamento é fundamental. Então, antes de viajar, confira este post para saber tudo o que você precisa para cumprir essa missão com sucesso. Continue a leitura.

Leia também: Santa Maria Turismo. Conheça a história de uma das primeiras empresas parceiras da Buser

Dica 1: organize todos os documentos necessários

Viajar com crianças em um ônibus não é tão simples quanto viajar com uma pessoa adulta. Para que elas tenham direito de embarcar, é preciso que todos os documentos necessários estejam em mãos.

Na Buser, é obrigatória a apresentação do RG, que permite a identificação do pequeno passageiro. Para menores de 12 anos, também é exigida a certidão de nascimento. Além disso, em viagens nacionais, nenhuma criança ou adolescente menor de 16 (dezesseis) anos pode viajar desacompanhada dos pais ou responsável. Para que outro adulto com grau de parentesco até terceiro grau a acompanhe, é necessário expressa autorização judicial, reconhecida em cartório.

Mas, atenção, caso haja dúvidas mais complexas, é preciso entrar em contato com a  Vara da Infância e Juventude

Dica 2: organize itens essenciais para crianças de colo

Crianças de colo têm necessidades mais específicas e, visando garantir o bem-estar dos bebês, é necessário fazer um check-list com todos os itens. Ninguém quer ser pego de surpresa dentro de um ônibus, não é?! Calcule a quantidade de fraldas que serão usadas no trajeto, mamadeiras, sucos e outros itens de alimentação. É fundamental abastecer a bolsa com itens básicos de higiene pessoal. 

Priorize amamentar e trocar a criança antes da viagem ou nas paradas, mas esteja preparado (a) para suprir as necessidades do pequeno na viagem.

Ah, e não se esqueça dos medicamentos! A criança pode ter algum mal-estar no caminho e não dá para contar com a possibilidade de comprar remédios na viagem.

Dica 3: lembre-se dos itens de segurança

É fundamental que sua criança use bebê conforto com o cinto de segurança. Na Buser, exigimos o uso da cadeirinha, então, além da bagagem, é fundamental levar a cadeirinha, pois, caso contrário, a criança não poderá viajar. 

E lembre-se: cinto de segurança é item obrigatório para todos, adultos ou crianças. 

Dica 4: invista no entretenimento

Crianças precisam se entreter. Principalmente em uma viagem grande, há grandes chances dos pequenos ficaram entediados e chorarem. Não economize em entretenimento de acordo com a faixa etária. Para bebês, um mordedor e brinquedos pode bastar. Para crianças um pouco mais velhas, contar histórias e propor brincadeiras relacionando à estrada ou ao próprio ônibus pode ser legal. Para crianças maiores, vale investir em entretenimento no tablet ou celular, com jogos ou desenhos animados.

Dica 5: prefira alimentos leves e tenha sempre um lanchinho reservado

Um dos maiores pesadelos dos pais ou de quem vai viajar com crianças são os enjoos. Apesar de comum, é possível minimizar os fatores que levam ao enjoo. Priorize refeições leves antes do embarque e com tempo suficiente para que os alimentos sejam digeridos antes da movimentação (que causa enjoo).

Além disso, é bem provável que as crianças sintam fome no caminho. Tenha sempre snacks leves à mão, como biscoitos, barras de cereal ou frutas. Se conseguir, alimente a criança nas paradas para minimizar o enjoo.

É muito  importante também controlar os líquidos. Não deixe as crianças com sede, mas muito líquido, além de aumentar a possibilidade de enjoos, faz com que haja a necessidade de ir ao banheiro em crianças que não usam mais fraldas. E vamos combinar que para uma criança usar o banheiro do ônibus não é fácil.

Dica 6: tente viajar com mais um adulto

Viajar sozinha com uma criança é bem mais difícil do que se você puder dividir a responsabilidade. Claro que nem sempre é possível, mas, se for, tente levar outra pessoa. Afinal, crianças não podem ficar sozinhas nem por um segundo em uma viagem e não dá para confiar em ninguém. Contudo, todo mundo precisa ir ao banheiro, comer e dormir. Então, se puder, reveze com alguém.

A gente sabe que nem sempre é fácil levar crianças para uma viagem de ônibus, mas seguindo essas dicas, vai dar tudo certo. E aí, gostou? Então acompanhe o Blog da Buser e fique por dentro de muitas outras dicas de viagem. Até a próxima!

Santa Maria Turismo: conheça a história de uma das primeiras empresas parceiras da Buser

Santa Maria Turismo: conheça a história de uma das primeiras empresas parceiras da Buser

Um início difícil, recomeços e superação. Saiba como Ricardo e Louyse Sortica recomeçaram do zero e fundaram a Santa Maria Turismo, uma das primeiras empresas parceiras da Buser

Começar qualquer coisa na vida é muito difícil e recomeçar é ainda pior. E quando são muitos recomeços? Pois são os recomeços que marcam a trajetória da Santa Maria Turismo, uma das primeiras empresas a serem parceiras da Buser.

Conheça a história de garra, superação e determinação de um casal que só queria trabalhar com ônibus e ter sucesso nisso, mas que conquistou muito mais.

Leia também: Cansado de lives? Conheça os melhores podcasts sobre viagem para acompanhar durante a quarentena

O começo de tudo

Para contar essa história é preciso ir, de fato, para o início dela. O ano é 1998 e Ricardo Sortica, filho de um professor de educação física e uma professora de matemática já trabalhava na empresa de ônibus na qual o seu pai e tio eram sócios. Ele tinha apenas 13 anos quando o pai resolveu vender sua parte da empresa para o tio, que partiu rumo a Campo Grande – MS. Ricardo ainda era um adolescente, mas cheio de certezas profissionais. Ele foi junto com o tio trabalhar na empresa, afinal, já sabia que os ônibus eram a sua paixão.

“Na época, meu pai ficou triste porque eu era o xodó dele e eu vim embora com o meu tio”, conta. 

Ricardo seguiu na empresa e em Campo Grande, até que, aos 18 anos, conheceu a pessoa que mudaria a sua vida: Louyse Sortica. Logo eles começaram a namorar e, depois, Louyse também foi trabalhar na empresa de ônibus. Quando Ricardo tinha entre 20 e 21 anos casou-se com Louyse e a sua trajetória profissional sofreu uma grande mudança.

“Quando resolvemos nos casar, o padrasto da Louyse, que era inspetor da PRF (Polícia Rodoviária Federal) em Nova Alvorada do Sul, cidade de interior do Mato Grosso do Sul, sugeriu que eu comprasse um ônibus pequeno para colocar em uma usina de lá. Ele disse que conhecia o gerente e que poderia me apresentar. Deu certo! Assim, comprei meu primeiro ônibus urbano para carregar trabalhadores da usina”, declara Ricardo. 

Ricardo Sortica da Santa Maria Turismo em frente ao seu primeiro ônibus
Na foto, Ricardo Sortica mostra o seu primeiro ônibus (arquivo pessoal)

Uma nova etapa

O início do trabalho na usina foi cansativo. Ricardo era o dono da empresa, o motorista, o mecânico, o responsável pela limpeza do veículo, ou seja, ele era 4 em 1. Já Louyse, continuava trabalhando na empresa de ônibus em Campo Grande e percorria 200km por dia para ir e voltar ao trabalho. 

“Eu acordava às 3h para fazer marmita para o Ricardo, porque ele passava o dia na roça. Ele me deixava na rodoviária de Nova Alvorada do Sul, eu pegava o ônibus 4h e ia para Campo Grande todos os dias. A nossa rotina era essa. Eu voltava às 17h, pegava o ônibus de Campo Grande para Nova Alvorada e, no outro dia, tudo de novo. Foi assim até eu ficar grávida da minha primeira filha”, conta Louyse.

Entre usinas, multinacionais e contratos ganhos e perdidos, a empresa cresceu muito. De um ônibus e nenhum funcionário eles chegaram a ter uma frota de 60 veículos e 180 funcionários. “Fomos aumentando a frota, renovando carros e chegamos a atuar em três usinas. Ao todo, trabalhamos nesse ramo por 15 anos. No fim, perdemos o contrato. Na verdade perdemos tudo. Tivemos que vender o que podíamos e mandar os funcionários embora. Foi muito duro! Outra empresa ganhou a licitação e tivemos que pensar em como recomeçar”, pontua Louyse.

A entrada no ramo do turismo

Em 2017, Ricardo comprou um ônibus de turismo. Ele voltou para Campo Grande e se tornou sócio do seu primo Edgard. “A gente fazia Corumbá (MS) – SP carregando pessoas que iam fazer compras ou procurar emprego na capital paulista”, diz Ricardo.

Nesta mesma época, Louyse estava infeliz com o trabalho em ônibus e tinha medo de que a empresa crescesse e quebrasse novamente. Entretanto, segundo ela, o período difícil trouxe muitos aprendizados valiosos que a fizeram mudar a forma de enxergar a vida. “Eu fiquei desmotivada. A gente diminuiu bastante o nosso padrão de vida, mas percebi que a gente não precisava de muito. Na verdade, o serviço que a gente tinha na usina foi sempre algo muito desgastante, estressante e de pouco retorno. Então, tudo isso serviu de lição pra gente ver que foram muitos anos trabalhando de ilusão. A gente não tinha lucro com a usina, mas tinha medo de perder aquilo e não conseguir mais nada. Estávamos errados”, esclarece. 

Uma luz no fim do túnel

Neste período em que a empresa fazia fretamento de Corumbá para São paulo, as finanças não iam nada bem. Eles estavam enfrentando muitas dificuldades para tornar a empresa sustentável e pensando em como recomeçar (de novo). Afinal, outra empresa estava fazendo o mesmo serviço por um valor mais baixo, havia dívidas e faltava dinheiro para continuar, até que receberam a proposta de se tornarem uma das primeiras empresas parceiras da Buser.

“Um dia cheguei tarde da noite em Campo Grande e meu primo falou que tinha aparecido um negócio com uma startup que estava começando. Ele contou que tinha se cadastrado há muito tempo e que havia conversado com o Marcelo (um dos fundadores da empresa). Acreditava ser uma proposta bacana pra ir com o nosso ônibus leito Double Decker e fazer um teste de São Paulo para BH. Resolvemos arriscar. Estávamos sem dinheiro até para o diesel, mas resolvi encarar. Eram as primeiras viagens da Buser e a gente não tinha ideia de como seria”, conta. 

Primeiros ônibus Buser de Ricardo Sortica
Este foi o primeiro ônibus de Ricardo Sortica a trabalhar com a Buser (arquivo pessoal)

O início da parceria com a Buser

Quando resolveram aceitar a proposta da plataforma, Louyse acreditava que isso seria uma loucura. Afinal, depois de perderem tudo, o marido ainda pegou emprestado uma certa quantia em dinheiro da poupança da filha para se manter em São Paulo no período das primeiras viagens com a Buser.  “Eu tinha medo, porque tínhamos perdido o serviço que era a nossa segurança. Com 30 dias a gente perdeu tudo. Até a casa que a gente tinha perdermos para pagar conta e, mesmo assim, ficou muita coisa para trás. Não teve o que fazer. É difícil recomeçar do zero e recomeçamos totalmente do nada e com apenas um ônibus. Mas o Sortica foi para São Paulo, ficou lá 60 dias e encarou o desafio”.

Depois das primeiras viagens, os primos separaram as empresas — mas continuam parceiros nos negócios. Ricardo começou com um ônibus e muita vontade de acertar.

“Ele lavava o ônibus, cuidava dele e eu fazia a parte administrativa aqui de casa mesmo. Então, a gente foi crescendo, comprou outro ônibus, depois outro, e fomos nos adaptando e vendo do que a gente dava conta. É bacana isso, porque começou com a gente, apenas”, conta Louyse.

Uma história de sucesso

Do início até hoje muitas águas rolaram, ou melhor, muito chão foi percorrido por Ricardo e Louyse. A parceria com a Buser está completando três anos. Santa Maria Turismo e Buser nasceram juntas e é até difícil separar a história da plataforma das histórias dessas primeiras empresas parceiras. E assim como a Buser cresceu de lá para cá, os parceiros também evoluíram. 

“Tudo mudou. Hoje, um dos meus filhos já está em escola particular e a gente mora em um lugar bom. Nós conseguimos ter uma vida melhor. Hoje temos seis ônibus, 15 funcionários e fazemos viagens para BH, Rio e Goiânia”, contam Louyse e Sortica juntos.

Foto de um õnibus Buser da Santa Maria Turismo na garagem
Hoje, depois de muita batalha, a empresa cresceu e os ônibus da frota de Ricardo são como o da foto (arquivo pessoal)

Próximos passos [e sonhos]

E os sonhos continuam? Depois de tanta história e tantos altos e baixos, será que os eles persistem? Segundo eles sim, só que diferentes agora.

“Depois de tudo o que passamos as prioridades mudaram. Nosso foco é continuar prestando um serviço de qualidade, com uma frota nova e uma estrutura bem organizada. O que a Buser fez com a gente, a transformação que ela promoveu nos fez acreditar que podemos sonhar de novo e que a gente pode realizar esses sonhos. Eu tinha perdido isso. Sou grata pelo Ricardo ter acreditado junto com o primo dele de que isso daria certo”, esclarece Louyse.

A meta do casal, agora, é chegar a 10 ônibus. Eles não querem mais manter uma estrutura muito grande, pois preferem um negócio mais “pé no chão”, em que eles consigam ter controle e manter a qualidade.

Louyse e Sortica hoje são gratos pelo que conquistaram e deixam uma mensagem que esperam que seja o legado deles. “O mais importante de tudo é a gente trabalhar com amor naquilo que a gente está fazendo, com pensamento positivo e sempre com os pés no chão. Todos os dias você tem a chance de fazer o dia melhor”, declara o casal.


Quer conhecer outras histórias de parceiros, bem como saber mais sobre a Buser? Então não deixe de acompanhar o nosso blog. Até a próxima!

Cansado de lives? Conheça os melhores podcasts sobre viagem para acompanhar durante a quarentena

Cansado de lives? Conheça os melhores podcasts sobre viagem para acompanhar durante a quarentena

Você não sabe mais como se entreter no isolamento social e quer dicas de viagem? Então não deixe de conferir a nossa lista com os melhores podcasts sobre viagem para acompanhar durante a quarentena

Se entreter com qualidade em tempos de isolamento social parece não ser mais possível nessa altura do campeonato. A impressão que dá é a de termos esgotado todas as opções do catálogo da Netflix, da TV  a cabo e lido todos os livros que há muito tempo tentávamos terminar. Isso sem falar das lives que, olha, as pessoas estão exagerando. E agora? Bom, agora tem um universo de entretenimento em áudio para ser explorado!

O Brasil, hoje, já é o segundo maior consumidor de podcasts no planeta, de acordo com a Spotify (maior serviço de streaming em áudio do mundo). O consumo da categoria na plataforma brasileira tem crescido, em média, 21% mensalmente desde 2018. Também nos tornamos um dos principais produtores de podcasts. Então, precisamos conhecer o que tem sido produzido aqui.

Mas se você ainda não é um ouvinte assíduo de podcasts ou queria conhecer algumas opções que falem sobre viagem, esta seleção é para você.

Leia também: Planejando a próxima viagem? Conheça os melhores roteiros gastronômicos do Brasil

1- Mochileiros sem pauta

Comandado por Cainã Ito e Richard de Oliveira, este podcast, como dá para entender pelo próprio nome, é para os mochileiros. Os episódios falam sobre os mais variados desafios e dúvidas que os mochileiros enfrentam, como alimentação, destinos, hospedagem, além de questões sociais e assuntos muito divertidos, como hábitos de higiene no mundo.

 Clique aqui para acessá-lo no Spotify.

2- Turistando

Produzido pelo Ministério do Turismo, o podcast aborda assuntos diversos relacionados a viagem, mas, o melhor é que ele tem foco no Brasil. Alguns dos temas são: culinária dos estados brasileiros, mulheres que viajam sozinhas, profissões ligadas ao turismo, entre outros.

Clique aqui para acessá-lo no Spotify.

3- Lipe Travel Cast

Outro podcast imperdível para quem gosta de viajar pelo Brasil é o Lipe Travel Cast. O programa é apresentado pelo executivo e ex-CEO de uma das maiores empresas de viagens online do Brasil. Lipe também é o criador do Canal Lipe Travel Show (LTS) no Youtube.

Os temas abordados no podcast vão de dicas de roteiros brasileiros em todas as temporadas, além de dicas de hospedagem, de alimentação, entre outras.

Clique aqui para acessá-lo no Spotify.

4- Despachados

Despachados é um excelente podcast sobre viagens. É bem variado e fala sobre destinos no Brasil e exterior. Tem dicas de lugares exóticos, dicas de roteiros brasileiros, episódio só sobre hostels, fotografia e também episódios especiais que abordam as etapas da viagem, como o planejamento — tema pouco encontrado em outros conteúdos. 

Clique aqui para acessá-lo no Spotify

5- Esse mundo é nosso

Com dicas de viagem e roteiros pelo Brasil — e também por alguns lugares no mundo —, os jornalistas Adolfo Nomelini e Rafael Carvalho contam as suas experiências de viagens sem segredos. Tem lado A, lado B e tudo aquilo que as blogueiras não te contam. 

Tem dicas pra viajar gastando menos, listas sobre coisas que irritam os viajantes, perrengues e erros que devem ser evitados.

Clique aqui para acessá-lo no Spotify.

6- Mamilos

O último da lista é, também, a nossa principal indicação. Mamilos é um dos maiores podcasts do Brasil, apresentado pelas jornalistas Cris Bartis e Ju Wallauer. O programa semanal não é sobre viagens e busca nas redes sociais temas polêmicos para serem debatidos. Mas o que isso tem a ver com viagem? A questão é que as jornalistas, periodicamente, produzem episódios de férias que são focados em viagens. E olha, tem alguns episódios fundamentais para os viajantes. 

O legal é que o podcast fala muito sobre destinos pelo Brasil e as necessidades e dificuldades exclusivas das mulheres que viajam.

A seguir, indicamos alguns episódios:

Episódio 1

Episódio 2

Pograma 3

Prepare os fones!

E aí, gostou das nossas dicas? Não quero saber de ninguém falando que não tem o que fazer na quarentena. O bom dos podcasts é que dá pra gente ouvir fazendo outras coisas (comida, faxina, cuidando dos filhos, ou até mesmo trabalhando). Então, bora ouvir?

Para saber de todas as nossas dicas, não deixe de acompanhar o Blog da Buser. Ah, e quer viajar pelo Brasil depois da quarentena com conforto e gastando pouco? Vai de Buser!

Buser adianta 2 mi às empresas parceiras durante a quarentena

Buser adianta 2 mi às empresas parceiras durante a quarentena

Estratégia quer garantir sustentabilidade das empresas de fretamento que operam pela plataforma e que estão com operações paralisadas

Para auxiliar as empresas de fretamento durante a quarentena devido a pandemia de Covid-19, a Buser ofereceu um adiantamento do pagamento das empresas parceiras sem taxas ou juros. Vale lembrar que a Buser paralisou totalmente suas operações desde o meio do mês de março para evitar o risco de contaminação entre seus usuários e a população em geral.

“A Buser possui um compromisso com a sociedade e a saúde das pessoas. Fomos a primeira empresa da área a parar as operações para evitar o risco de contaminação. De forma constante, avaliamos nossos planos de retomada e o faremos quando entendermos que temos um ambiente de segurança para nossos clientes, parceiros e colaboradores”, explica Marcelo Abritta, CEO da Buser.

Leia também: Presidente da Buser se pronuncia sobre Covid-19

O auxílio

A ajuda financeira concedida pela Buser serve de suporte aos empresários parceiros durante o período de suspensão das viagens. Enquanto não retornam às operações, eles recebem uma antecipação financeira para se prepararem para a retomada e manterem suas empresas sustentáveis. Para este fim, a Buser destinou 2 milhões de reais do seu caixa. 

Este suporte tem como objetivo incentivar os empresários parceiros a não demitirem seus motoristas, bem como funcionários que trabalham nas áreas administrativas, de serviços e manutenção. A expectativa é que a ação impacte direta e indiretamente mais de 300 famílias que fazem parte dos laços destes colaboradores.

Até agora, mais de 50 empresas de ônibus foram beneficiadas com o valor do primeiro lote de pagamentos e, nos próximos dias, mais adiantamentos serão feitos, priorizados de acordo com a necessidade. 

Além de proporcionar esse respaldo financeiro, a Buser não vai cobrar juros sobre o valor antecipado. Com o retorno das operações e conforme as viagens acontecerem, o valor será abatido de forma parcelada no decorrer dos meses, sem taxas ou encargos.

Saiba de todas as novidades da Buser acompanhando o nosso Blog.

Planejando a próxima viagem? Conheça os melhores roteiros gastronômicos do Brasil

Planejando a próxima viagem? Conheça os melhores roteiros gastronômicos do Brasil

Se a única coisa que ronda a sua mente neste momento é o planejamento da sua próxima viagem pós-quarentena, conheça 5 tipos de roteiro gastronômico no Brasil

Se você é daqueles que antes mesmo de planejar a viagem já está pensando em que restaurante ir, olhando as avaliações do Trip Advisor e tentando encaixar tudo o que você quer comer nos dias em que vai viajar, este post definitivamente é para você. 

O Brasil é um país de muitas cores e sabores. De norte a sul a gastronomia se diferencia tanto que parece que estamos em países diferentes. Vamos combinar não dá para falarmos que conhecemos um lugar de verdade sem provar a comida de lá. E se tratando de comida, o Brasil é um paraíso.

Então, bora conhecer os roteiros gastronômicos que vão te conquistar pelo estômago?

Leia também: 7 dicas para ter uma viagem de ônibus sem problemas

1- Belo Horizonte

Vista de Belo Horizonte, o principal roteiro gastronomico do brasil

BH certamente tinha que estar no topo desta lista. Afinal, a capital mineira se especializou para ser um polo de turismo gastronômico. Em outras palavras, é impossível falar de comida de qualidade no Brasil sem falar de comida mineira. 

A capital de Minas resume tudo o que é encontrado em termos de culinária no resto do estado  —  que é muito diferente de região para região. Por lá, não faltam lugares para servirem os famosos frango ao molho pardo, leitão à pururuca, feijão tropeiro, tutu, bolinhos de tudo o que você puder imaginar, torresmo e, claro, pão de queijo. Ah, e não pense que em BH se come apenas bons pães de queijo. É mais do que isso, são receitas inesquecíveis e com recheios inusitados.

Se seu roteiro gastronômico na cidade ainda não está definido, não deixe de visitar o Mercado Central e a Feira Hippie, o paraíso da comida de rua.

2- Salvador

Se você tivesse que falar de cabeça os pratos típicos brasileiros, certamente iria citar acarajé e outras delícias baianas. Salvador precisa ser parte do roteiro gastronômico de qualquer pessoa que queira conhecer a história do Brasil comendo. Afinal, história e gastronomia se misturam. Em Salvador conhecemos mais sobre a formação cultural e gastronômica brasileira, com a introdução de diversas tradições trazidas pelos negros escravizados junto com temperos indígenas e portugueses. 

As receitas soteropolitanas proporcionam uma festa na boca com sabores marcantes, tempero sem moderação e, claro, muita pimenta! Ela (pimenta) e o azeite de dendê estão na maioria das preparações. Se for à capital baiana não deixe de comer um delicioso acarajé no Rio Vermelho, um abará na Rua da Mouraria ou uma moqueca em um bom restaurante no Pelourinho.

3- Belém

belém do pará é um dos principais roteiros gastronomicos do brasil com suas comidas típicas

A gastronomia paraense sempre foi muito característica, mas tem ganhado mais destaque nos últimos anos. Com forte influência indígena, os pratos têm os sabores típicos da região norte e são fantásticos. O que faz com que Belém mereça estar presente no seu roteiro gastronômico.

Alguns dos ingredientes mais importantes das receitas locais só são encontrados no Pará. Se for até lá, experimente os deliciosos Pato com Tucupi (caldo amarelo extraído da raiz da mandioca brava), tacacá, maniçoba e chibé no Mercado Ver-o-Peso ou na Estação das Docas.

4- Recife

Pernambuco vai muito além das praias maravilhosas e do frevo. Se só isso já era suficiente para uma visita, acrescente culinária típica e deliciosa na conta.

Em Recife muitos pratos são considerados patrimônio e não se come apenas comidas típicas de regiões de litoral, como frutos do mar. Tem muita carne de boi e bode. Se a cidade estiver no seu roteiro turístico, não deixe de comer uma deliciosa carne de sol com macaxeira e manteiga de garrafa, a famosa buchada de bode e o cozido (feito com a perna do boi, charque, bacon em pedaços e linguiça calabresa). Mas olha, na sobremesa não pode faltar o delicioso bolo de rolo (bolo de massa extremamente fina enrolado como um rocambole e recheado de goiabada). 

Nas redondezas da praça do Marco Zero é possível encontrar bons lugares para comer essas iguarias.

5- Goiânia

Goiânia tem seu lugar ao sol quando o assunto é gastronomia. São muitos os pratos típicos do estado de Goiás e da região centro-oeste como um todo. Os sabores são muito diferentes e agradáveis na boca. Em resumo, assim como a gastronomia soteropolitana, os goianos não fazem miséria quando se trata de tempero. 

Com influência das culinárias de MG e SP, os goianos introduziram aos pratos elementos que os tornaram diferentes de todos do sudeste: os sabores do Cerrado. 

Um roteiro gastronômico na cidade precisa incluir os pratos: empadão goiano, frango com guariroba (palmeira nativa da região do cerrado brasileiro), peixe na telha e galinhada com pequi (fruto da região do cerrado).

6- Bento Gonçalves

Bento Gonçalves é uma excelente opção de roteiro gastronômico por sua herança italiana

Bento Gonçalves compartilha com vários outros municípios da Serra Gaúcha sua gastronomia patrimonial. Muito do que se come por lá foi trazido pelos imigrantes italianos.

História, comida e vinho não faltam. E nada melhor do que comer um belo prato saboreando os deliciosos vinhos produzidos na região. Os pratos típicos mais famosos são a sopa de capeletti, galeto assado, polenta frita, linguiça assadan e radiche com bacon. Na sobremesa não pode faltar a deliciosa cuca (espécie de bolo recheado) e sagu (redução de vinho tinto com creme de baunilha).

Bento Gonçalves é um pedaço bem italiano do Brasil que vale a pena conhecer.

Gostou das nossas dicas? Seja no norte, nordeste centro-oeste, sudeste ou sul, não faltam destinos para comer no Brasil. Afinal, o turismo gastronômico tem crescido no país e não é necessário ir à Europa para ter experiências gastronômicas fantásticas.

No momento, o que podemos fazer é planejar a próxima viagem, porque a quarentena está aí para todos. Contudo, quando tudo voltar ao normal, explore o Brasil, de preferência de Buser.


Acompanhe as nossas dicas de viagem no Blog da Buser e até a próxima!

7 dicas para ter uma viagem de ônibus sem problemas

7 dicas para ter uma viagem de ônibus sem problemas

Saiba quais são as dicas mais importantes para ter uma viagem de ônibus tranquila e sem contratempos

Se engana quem acha que só para viajar de avião é preciso preparação. Afinal, muita gente se atrapalha na hora de viajar de ônibus. Qual é o tamanho ideal de bagagem? Será que vai ter parada? O que preciso levar na bolsa? Essas são apenas algumas das perguntas recorrentes. Então, se você quer o passo a passo para ter uma viagem de ônibus tranquila e confortável é só continuar a leitura. Bora?

Leia também: 10 melhores filmes e séries da Netflix para viajar sem sair de casa na quarentena

1- Organização

A primeira dica e também a mais importante é a organização. Para qualquer tipo de viagem, de longa ou de curta distância, durante o dia ou à noite, para ficar muito ou pouco tempo, é preciso organização. Deixe pelo menos um documento de identificação oficial com foto em sua bagagem de mão, como RG ou CNH. Dentro da bagagem de mão, leve apenas o necessário, como celular, fones de ouvido, pequenos lanches para controlar a fome e dinheiro para o percurso. Às vezes, você pode sentir fome ou precisar comprar algo que não esperava, então, tenha dinheiro disponível, de preferência na forma de papel moeda, caso você passe por paradas pequenas. 

Por fim, busque saber o tempo de duração da viagem para sincronizar o seu horário de chegada com eventuais compromissos que você tenha. Ah, e não se esqueça de guardar direitinho o canhoto da bagagem do bagageiro para não confundir a sua bagagem com a de outra pessoa ou ter problemas para pegá-la de volta.

2- Alimentação

Uma viagem de ônibus pode ser muito longa e, também, podem ocorrer imprevistos que atrasam o horário de chegada, como congestionamentos. Sendo assim, é preciso ter uma alimentação leve antes e durante a viagem para evitar mal-estar e desconfortos. 

Evite frituras e comidas gordurosas. Nas paradas, prefira opções assadas e preparadas pouco antes do horário em que você vai consumir. Sempre leve lanches rápidos na bagagem de mão, pois você pode sentir muita fome antes das paradas e hidrate-se bem durante a viagem. Nas viagens intermediadas pela plataforma da Buser, nossos parceiros são orientados a manter uma geladeira com água fresca disponível durante toda a viagem para maior conforto dos passageiros. Fica a dica!

3- Roupas

Outra dúvida frequente é sobre o que vestir. Prefira, sempre, roupas confortáveis como calça de moletom, bermudas, leggins e sempre de acordo com a estação do ano. Se for verão, vá com algo mais fresco. No inverno, prefira uma roupa mais quente. Agora, em qualquer estação do ano, leve um casaco, pois a temperatura no ônibus pode estar um pouco mais baixa em virtude do ar-condicionado.

quatro pessoas alegres conversando dentro de um ônibus Buser após ter planejado a viagem com dicas
É preciso estar alerta a diversos fatores para não colocar o planejamento da sua viagem a perder

4- Bagagem

É normal se perder um pouco na hora de preparar a bagagem, mas se você tiver em mente que é sempre bom levar o mínimo possível de coisas, talvez você consiga manter a bagagem sob controle. Carregue apenas o que realmente irá usar ao longo de sua viagem, separando roupas por quantidade de dias e estação do ano. 

Atenção à bagagem de mão! Dê preferência por levar apenas uma mochila ou uma bolsa. Afinal, malas pequenas com rodinhas, ou bolsas maiores ou mais gordinhas do que o bagageiro não podem ficar na parte de cima do ônibus. Quanto a bagagem principal também há limites e evite levar algo que você não consiga carregar sem ajuda.

Consulte o limite de bagagens e leia mais AQUI. 

5- Horário da viagem de ônibus

Fique muito atento ao horário indicado para o seu embarque no ônibus, pois a saída costuma ser pontual. Inclusive, o ideal é chegar 25 minutos antes para que você se acomode melhor, deixe sua mala no bagageiro ou corrija eventuais problemas caso eles existam. 

Fique atento ao tempo das paradas. Se o motorista avisa que serão 15 minutos não ultrapasse esse tempo, pois além de haver a possibilidade de sua ausência não ser notada e o ônibus partir, é desrespeitoso para com os outros passageiros, pois a viagem pode ser atrasada por isso. 

Ah, outra dúvida comum é: vai ter parada? Se a sua viagem é mais longa a resposta é sim, com certeza. Normalmente, as paradas acontecem em intervalos de 3h ou no máximo 3h30 de viagem.

6- Tipo de ônibus

Na hora de fazer a reserva da sua viagem, fique muito atento ao tipo de assento que você comprou, pois a maioria dos ônibus têm mais de um tipo de assento. Semi-leito são os assentos mais estreitos com apoio de pé e inclinação moderada. Os assentos leito se inclinam muito mais, possuem poltronas mais largas e apoios de pé. Já os assentos cama têm poltronas largas, inclinação completa e apoios de pé móveis. Compre assentos confortáveis sempre, porque uma viagem desconfortável pode ter como consequência dias de dores no corpo.

7- Mal-estar na viagem

É comum que as pessoas tenham náuseas, enjoos ou tonturas ao viajar de ônibus. O importante é conhecer o comportamento do seu corpo e se prevenir. Medique-se antes da viagem  — com indicação médica, é claro —  e fique atento. Caso tenha algum mal-estar mais intenso, é importante notificar o motorista, pois ele pode te ajudar. 

Outro ponto muito importante: nunca tome medicação em excesso. Isso pode te dopar e dificultar que você preste atenção na viagem, paradas, ao ônibus, ou mesmo no assento em que você está. Ficar dopado (a) não é seguro, especialmente se você estiver viajando sem companhia. 

Mesmo que você não passe mal com frequência, leve medicamentos básicos, pois você pode sentir algum desconforto. Ah, e aproveite para movimentar-se nas paradas, pois isso faz o nosso corpo responder melhor a uma viagem longa.

Por fim, a dica mais importante é: aproveite a viagem! Escolha bons assentos, o melhor horário para você viajar e aproveite a estrada. Tire fotos, ouça música, leia livros e torne esse momento o mais agradável possível. Boa viagem!

Gostou do conteúdo? Então acompanhe as nossas dicas de viagem no Blog da Buser

10 melhores filmes e séries da Netflix para viajar sem sair de casa na quarentena

10 melhores filmes e séries da Netflix para viajar sem sair de casa na quarentena

Conheça a lista com os 10 melhores filmes e séries para matar um pouco da vontade de viajar na quarentena

Abrir mão das viagens na quarentena não está sendo fácil, mas todo mundo sabe que é para um bem maior. Hoje estamos em casa para amanhã podermos viajar. E como! Então, se o tédio já tomou conta do seu espírito aventureiro é hora de reverter isso assistindo a seleção que fizemos com os 10 melhores filmes e séries de viagem disponíveis na Netflix ideais para a quarentena. 

Fizemos este conteúdo para ajudar você a passar por essa fase e conhecer as paisagens, personagens, culturas e comidas mais interessantes sem ao menos sair do sofá. 

Quero ver você super empolgado para a próxima viagem, beleza? Então, vamos lá!

1- Somebody Feed Phill

Vamos combinar que para a maioria das pessoas comer e viajar são duas coisas intimamente ligadas. E se fazer turismo gastronômico é com você, então não temos dúvidas de que você vai amar essa série.

Em cada episódio da série, Phill passa por uma cidade diferente explorando o que elas têm de melhor: comida. Mas não pense que ele se restringe a um rolê de restaurantes granfinos. Tem comida de rua, bares, padarias, lanchonetes… O importante mesmo é que seja comida boa e tradicional. 

Bom, mas depois de assistir a essa série eu não garanto que seu apetite será o mesmo.

2- Diários de motocicleta

Se tem um filme que nos dá vontade de explorar a América Latina é esse. O longa, de 2004 conta a história de transformação de Ernesto Che Guevara (Gael Garcia). 

O então tímido estudante de medicina ainda nem almejava se tornar um grande líder revolucionário. Diários de Motocicleta é sobre a viagem de moto em que Guevara partiu junto com seu amigo Alberto Granado (Rodrigo de la Serna). Se a intenção inicial da viagem era diversão e “farra” entre amigos, virou uma reflexão social que mudou profundamente a vida dos personagens. 

O filme é baseado em um diário de Che em que ele relatou toda a viagem pela América do Sul.

3- Jack Withehall: Travels With my Father

Bom, só o enredo dessa série já é excêntrico o suficiente pra gente dar pelo menos uma conferida. Trata-se de um filho que leva o pai de 77 anos para fazer um mochilão por lugares inusitados e descolados com a intenção de reforçar seus laços com ele. 

Com muitas camadas de humor, a série caminha por paisagens exóticas, choques culturais e situações constrangedoras. É uma obra fundamental para quem gosta de humor britânico.

4- Chef´s Table

Esta série documental é indispensável para os amantes de um roteiro Masterchef. Afinal, em cada episódio um chef renomado é apresentado com suas histórias por trás da fama e os desafios da cozinha. 

O ponto mais forte da série é, definitivamente, a fotografia com imagens hipnotizantes pelas quais somos introduzidos aos sabores, cores e possibilidades da cozinha de cada chef. É bom destacar que a série não fica só na gastronomia, como retrata, também, as realidades sociais dos locais por onde passaram a vida dos chefs. 

Além de viajar sem sair de casa, Chef´s Table nos possibilita entrar nas cozinhas mais disputadas do mundo e conhecer mais sobre gastronomia. É uma série imperdível!

5- Juanita

Se a sua vontade é assistir a filmes na quarentena que te inspirem para a sua próxima viagem, então Juanita talvez seja um bom título para você.

A história é leve e inspiradora retrata uma mulher negra de meia idade que já tem dois filhos e um neto e se cansa de sua vida monótona em Ohio – EUA. Então, ela decide dar início a uma jornada com uma viagem de ônibus para a cidade mais distante que vê no mapa. Com a viagem, ela conhece muitas pessoas e vai mudando a forma com vê a vida e se redescobre.

Outro ponto legal do filme é que a viagem não é glamurosa e nem por lugares tão turísticos, mas mesmo assim, não deixa de ser divertida, intensa e transformadora. 

6- A Magia dos Andes

A Magia dos Andes é uma série de cinco episódios e com cinco personagens que têm uma conexão com as montanhas andinas. A minissérie faz uma impressionante viagem visual pelos países da Cordilheira dos Andes, como Chile, Argentina e Bolívia. 

As histórias dos moradores locais e suas relações com os Andes são o que dá liga e magia à série. Nos episódios são retratados culturas e paisagens únicas, como vulcões, desertos, lagos e florestas. Vale a pena assistir!

7- Na Natureza Selvagem

Este filme é um clássico que marcou a adolescência e juventude de muita gente. Trata-se da história real de Christopher McCandless, um jovem rapaz de 22 anos que, depois de concluir a graduação, decide abandonar o conforto da sua vida em busca de liberdade.

Ele doa todo o seu dinheiro para uma instituição de caridade e faz uma viagem cruzando todo os EUA até chegar ao seu destino final, o imponente Alasca.

Na Natureza Selvagem é um filme indispensável não só na lista dos amantes de viagem, mas dos amantes de cinema também.

8- Comer, Rezar e Amar

Falando em clássico, Comer, Rezar e Amar faz parte da lista de muita gente entre os filmes preferidos da vida e não é à toa. Inspirado no livro best seller com o mesmo nome, o filme conta a história de uma mulher que, após um divórcio, faz uma viagem de autodescobrimento. O longa se divide em três partes: uma voltada à gastronomia, outra direcionada à espiritualidade e a última, ao amor.

O filme se tornou tão famoso quanto o livro e nos envolvemos muito com os personagens e os lugares retratados: Itália, Índia e Indonésia. É um daqueles de filmes ideais para a quarentena que fazem a gente querer fazer as malas e planejar um roteiro imediatamente após o fim. 

9- Expedition Happiness

Esse documentário é baseado no filme Na Natureza Selvagem, mas, agora, os destinos do primeiro filme são percorridos em um Motorhome e por um casal alemão, Felix e Selima. Eles fazem basicamente o mesmo percurso de Christopher.

É um filme leve e que além de retratar a viagem em si mostra muito do casal que é bastante interessante. É perfeito para sentar no sofá, relaxar e se deliciar com as paisagens.

10- Tales by Light

A última indicação, mas, definitivamente, não menos importante, é a série documental Tales by Light. A obra é uma incrível experiência visual vivida por cinco fotógrafos que trabalham em áreas remotas do mundo explorando a natureza e cultura.

Se você gosta de fotografia, esta série precisa estar na sua lista, pois as imagens são feitas em 4K, o que torna tudo mais interessante e promove uma verdadeira viagem sem que você saia do sofá  — ou da cama se preferir.

E aí, gostou da nossa lista de filmes ou séries para quarentena? Então se você está de bobeira já pode começar a maratonar. E lembre-se, se puder #FiqueEmCasa para a segurança de todos.

Depois que a quarentena acabar, teremos um prazer enorme em levar você para curtir as melhores viagens pelo Brasil pela Buser.

Até a próxima e fique ligadx no Blog da Buser!

Conheça os 6 melhores apps para planejar a sua viagem pós-quarentena

Conheça os 6 melhores apps para planejar a sua viagem pós-quarentena

Saiba como se organizar melhor com os 6 melhores apps para planejar sua viagem e transforme o passeio pós-quarentena no melhor da sua vida

Qual é o seu nível de tédio da quarentena? Está se sentindo preso dentro de casa e só contando os dias pela liberdade? Ou você está curtindo ter mais tempo para si mesmo e gastando de forma produtiva? Seja qual for o seu caso, aposto que planejar uma viagem pós-quarentena tem sido uma ideia recorrente na sua mente. Então, que tal ultrapassar a barreira só do pensamento e colocar no papel, ou melhor, no celular, esses planos?

via GIPHY

Para isso, organizamos uma lista com os 6 melhores apps para você planejar a sua viagem. Afinal, tempo para planejar, agora, você tem de sobra. Tem app para controle de finanças, para organizar os roteiros, app para viagem em grupo e por aí vai… Então, vamos lá?!

Leia também: Buser vai oferecer viagens grátis para os usuários depois da quarentena

1- Triplt

O Triplt é um app que  possibilita organizar a viagem e ainda compartilhar o itinerário. Com ele, você pode estabelecer os roteiros principais, fazer reservas de hotéis, aluguel de carros, voos e até restaurantes. 

O app oferece, ainda, o recurso de sincronização automática com ferramentas de calendário conforme necessário. Caso você faça alterações na agenda, você terá a informação atualizada no seu itinerário de viagem do Triplt – sem precisar copiar as informações.

O app está disponível em dispositivos Android e IOS.

2 Travel Bank

Daqui a pouco as nossas rotinas voltam ao normal e o trabalho também. Se você viaja muito a trabalho, não pode mais ficar sem o Travel Bank. Afinal é muito difícil controlar todo o itinerário, mas, principalmente as notas fiscais e recibos. E quem viaja a trabalho sabe: perder uma nota significa ficar sem reembolso e ter prejuízo. 

Este app é prático e funcional, pois ajuda a organizar todas as necessidades de uma viagem de negócio, como reservar voos, automatizar despesas, rastrear milhas, estimar o custo da viagem e até  enviar documentos para reembolso.

Com o Travel Bank você consegue até conciliar o seu itinerário com o dos seus colegas. 

O aplicativo é gratuito e está disponível para dispositivos Android e iOS.

3- Syngic Travel

Todo mundo que viaja sabe que, mesmo com Google Maps, muitas vezes é difícil sincronizar a hospedagem com os passeios apenas olhando no Google. Quando percebemos, estamos muito mais distantes do que deveríamos ou teria sido melhor conciliar outros passeios no mesmo dia.

Com o Syngic Travel é possível planejar o itinerário de uma maneira fácil de usar e visualizar. Você pode planejar passeios turísticos, reservar um hotel com base na proximidade de certos pontos de referência e até mesmo mapear suas rotas para passeios a pé ou de carro.

O aplicativo oferece, ainda, diversas informações ​​sobre áreas turísticas, sugestões animadas de programação noturna, shows e eventos. 

É possível fazer download de app em Android ou IOS

4 – RentalCars 

Dependendo do destino que a gente escolhe, não dá para depender de Uber, táxis ou do transporte coletivo. Afinal, algumas áreas são mais remotas ou com distâncias tão grandes que isso se torna inviável ou nem mesmo é uma possibilidade.

Nestes casos se faz necessário alugar um carro, mas as locadoras mudam de lugar para lugar e é difícil pesquisar e escolher pelo Google. Com o este app você pesquisa preços de aluguel de carros durante a viagem. 

Além de comparar mais de 100 locadoras, ele ainda permite fazer o pagamento em reais, mesmo para reservas no exterior. 

O download está disponível em Android e iOS.

5- SplitWise 

Principalmente quem viaja em grupo sabe: a hora de dividir as despesas é um caos! E não há fotos de nota fiscal e grupo no Whats app que salve, porque alguém sempre perde a notinha ou faz as contas errado.

Esse é um dos melhores apps para planejar viagem em grupo que existe. É pra quem não abre mão de viajar com a galera, mas quer dividir corretamente as despesas da viagem em grupo. Ele permite incluir os valores em diversas moedas e associar apenas algumas pessoas do grupo a gastos específicos – super útil caso o grupo se divida durante alguns dos dias da viagem. 

O aplicativo simplifica as contas e indica o quanto cada pessoa deve e para quem. (Android e iOS)

6- Buser

Por último, mas não menos importante, um aplicativo que não pode faltar no seu celular é o da Buser, um app de fretamento colaborativo que está transformando mercado de viagens de ônibus no Brasil, oferecendo uma nova alternativa.

Por meio dele você consegue fazer viagens de ônibus até 60% mais baratas. E não é só isso! Com ele é possível viajar com mais conforto (a maior parte dos ônibus é cama, leito ou semi-leito) e com muito mais segurança.

As reservas são feitas pelo próprio aplicativo e não é necessário ir até uma rodoviária. Para embarcar, basta apresentar o RG e pronto!

Quando faz a reserva, o usuário passa a fazer parte de um grupo de viagem para o destino e datas selecionados. O transporte é feito por uma das empresas de fretamento parceiras do aplicativo.O valor da reserva representa o rateio do frete.

Por sinal, se você que não vê a hora de viajar depois da quarentena não pode perder a promoção Saudade de Você. Com ela, a Buser está oferecendo viagens de ida grátis para você rever a pessoa de quem você sente falta depois que a quarentena passar.

Experimente o aplicativo que vai mudar o seu jeito de viajar de ônibus. Ele está disponível em Android ou IOS.

E aí, gostou das nossas dicas? Então fique ligado no blog da Buser que sempre tem mais. Até breve!