Fique por dentro das características das estradas de Minas Gerais

6 minutos para ler

Quer conhecer cidades históricas, monumentos religiosos, lindas paisagens e gastronomia única com conforto e segurança? Descubra como viajar pelas estradas de Minas Gerais!

Está pensando em conhecer algumas cidades mineiras e quer saber quais são as condições de acesso das principais estradas de Minas Gerais? Então, você chegou ao lugar certo! Aqui, vamos mostrar alguns detalhes sobre a malha rodoviária do estado e também sobre um dos principais percursos, que atrai muitos turistas: a Estrada Real, um caminho que remete à época colonial.

O estado tem diversas cidades históricas e muitos atrativos naturais, como cachoeiras e destinos de ecoturismo, por exemplo, o Parque Nacional da Serra da Canastra, além da moderna capital, Belo Horizonte. Em uma viagem para Minas Gerais, é possível visitar monumentos culturais, religiosos e históricos, além de cidades nas quais a natureza exuberante se destaca.

No entanto, para chegar até tais locais, as rodovias mineiras não estão entre as melhores do país. Quer saber mais? Então, acompanhe o nosso post!

Quais as condições das estradas de Minas Gerais?

Você está programando uma viagem pelos principais destinos de Minas Gerais? Então, prepare-se para percorrer estradas que nem sempre estão em boas condições. Conforme dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), as rodovias do estado são consideradas péssimas em critérios como geometria, pavimentação e sinalização.

Os dados são da Pesquisa CNT de Rodovias, que analisou 744 quilômetros da malha viária do estado. Vale lembrar que, mesmo em uma estrada mal avaliada, podem existir trechos bons, e vice-versa. Conforme o levantamento, a CNT listou os sete piores trechos de rodovias do estado, confira:

  • LMG-633, um percurso de 49 km que liga o Projeto Jaíba de irrigação, na Comunidade Mocambinho, à sede do município de Jaíba;
  • MG-188, um trajeto de 294 km que liga as cidades de Patrocínio e Unaí;
  • MG-190, que tem 60 km de trecho avaliado como ruim, que interliga Romaria e Abadia dos Dourados;
  • MG-285/BR 120, um trecho curto, de apenas 10 km, que liga Dona Eusébia a Cataguases;
  • MG-413, em que 36 km ruins vão de Araguari até a divisa com o estado de Goiás;
  • MGT 455/BR 455, com 109 km ligando Uberlândia a Planura;
  • MGT 462/ BR 462, uma estrada de 70 km que liga a cidade de Patrocínio à BR-452.

Os problemas detectados pela CNT em tais trechos foram diversos, como falta de sinalização adequada, o que aumenta o risco para os motoristas, ausência de faixa adicional e acostamento, curvas perigosas e falhas na pista, como buracos, erosão e queda de barreiras.

Assim, se a sua viagem passa por algum desses locais, vale ter atenção e cuidado redobrado, caso esteja guiando. Uma alternativa segura (e mais confortável) é fazer tais trajetos de ônibus, com motoristas experientes e que conhecem as vias em detalhes.

Todas as estradas de Minas Gerais são consideradas ruins?

Não necessariamente. Minas Gerais é o estado brasileiro com a mais extensa malha rodoviária do país. Embora boa parte das estradas apresentem deficiências, existem alguns trechos que já passaram por modernizações e podem ser considerados mais seguros.

Além disso, há rotas históricas que valem a viagem, apesar de eventuais deficiências nas estradas. Um exemplo disso é a famosa Estrada Real, um caminho utilizado pelo império português, no século 17, para escoar a produção mineira, inclusive ouro e outros minérios, para o litoral do Rio de Janeiro.

Existe até uma curiosidade relacionada a essa estrada. Na época do império, quem burlava a Coroa Portuguesa levando ouro e minérios por outros caminhos acabava enfrentando problemas com a Justiça. Essa foi a origem do termo descaminho, que ainda é utilizado para designar comportamentos inadequados e desvios tributários.

Aliás, essa não é a única curiosidade: quem faz o percurso pode ter o Passaporte Estrada Real, com carimbos de cada ponto histórico visitado. Para tanto, é preciso preencher um formulário no Instituto Estrada Real e organizar o roteiro para conseguir os carimbos em cada ponto de parada. Quem recebe todos os registros pode solicitar, inclusive, o Certificado Especial da Estrada Real.

Vale a pena fazer os trajetos da Estrada Real?

trecho da estrada real em minas gerais

A Estrada Real é considerada a maior rota turística do país, com cerca de 1600 km, passando por diversas cidades e povoados em Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Ela é formada por quatro caminhos (ou rotas), que detalhamos a seguir.

Caminho Velho

Também chamado de Caminho do Ouro, vai da cidade de Ouro Preto até Paraty, no litoral Sul do Rio de Janeiro. Seu trajeto atravessa 27 cidades, entre as quais estão destinos históricos e turísticos, como São João del-Rei, Tiradentes, Congonhas, São Lourenço, Caxambu e Cunha, totalizando 710 km.

Caminho Novo

Esse trajeto, como o próprio nome diz, surgiu mais tarde, como alternativa mais segura ao percurso anterior (onde ocorriam muitos assaltos), sendo também utilizado para o escoamento de mercadorias e minérios. O percurso, que totaliza 515 km, vai de Ouro Preto a Petrópolis, passando por 18 cidades, entre as quais estão Juiz de Fora, Barbacena, Lavras Novas, Conselheiro Lafaiete, Paraíba do Sul e Itatiaia.

Caminho dos Diamantes

Essa rota foi aberta para escoar diamantes, ligando Ouro Preto a Diamantina. Com 395 km, a estrada passa por 19 cidades, sendo que as mais conhecidas são Mariana, Santa Bárbara, Serro e Cocais.

Caminho Sabarabuçu

Com apenas 160 km, esse é o menor trecho da Estrada Real. A rota foi criada para contornar a geografia montanhosa do local, que passa pela Serra da Piedade. Com paisagens belíssimas, a estrada passa apenas por sete cidades, entre as quais se destacam Sabará e Caeté.

Qual a melhor maneira de conhecer o estado de Minas Gerais?

Como explicamos, o estado tem inúmeros atrativos para os viajantes. Desde cidades e monumentos históricos até a modernidade das construções da capital, passando por locais com paisagens deslumbrantes, Minas Gerais oferece opções para todos os gostos e perfis de turistas. Em Minas está localizado, inclusive, o Museu Inhotim, com o maior acervo a céu aberto do mundo, na cidade de Brumadinho.

Apesar de todos os pontos de interesse turísticos, viajar no estado nem sempre é fácil, pois as estradas de Minas Gerais não se encontram em boas condições. Porém, esse não é um motivo para deixar de conhecer a cultura, os monumentos e a gastronomia local. A viagem de ônibus é bastante segura, com profissionais habilitados para transpor as dificuldades do trajeto.

Agora, você quer saber as vantagens de ir a algumas cidades do interior de Minas Gerais? Então, continue a visita em nossa página!

E que tal aproveitar para conhecer alguns dos destinos citados neste post?

Juiz de Fora

Belo Horizonte

Posts relacionados