Tag: segurança

Coronavírus e viagem: como viajar de ônibus com mais segurança durante a pandemia

Coronavírus e viagem: como viajar de ônibus com mais segurança durante a pandemia

Muita gente precisa viajar e está preocupado em se proteger do coronavírus na viagem. Então, saiba como viajar de ônibus de forma mais segura

Já estamos vivendo o terceiro mês desde o início da epidemia do novo coronavírus no Brasil. Agora, as cidades e estados começam a flexibilizar o isolamento social e muita gente que estava dispensada do trabalho ou trabalhando em regime de home office precisa voltar para as ruas. Algumas dessas pessoas, para além de usarem os ônibus urbanos, precisam fazer viagens mais longas de ônibus para trabalhar. Então, o que fazer para se proteger do coronavírus na viagem de ônibus? Essa tem sido a dúvida de muita gente e vamos tentar respondê-la em oito passos.

Leia também: Buser irá retomar sua operação de forma gradativa e com foco em segurança

casal com malas e máscaras se preparando para viajar de ônibus durante a pandemia de coronavírus

1- Monitore a sua saúde

Além de se proteger do coronavírus na viagem de ônibus, é preciso proteger as outras pessoas. Dias antes de viajar, observe a sua saúde, monitore a sua temperatura e NÃO VIAJE se apresentar qualquer sintoma da Covid-19 ou se fizer parte do grupo de risco para a doença.

2- Use máscara

Essa dica é de conhecimento de todos e o uso de máscara já virou obrigação, mas é bom relembrar que uma das principais formas de contágio do novo coronavírus se dá por meio das gotículas de saliva que ficam no ar quando pessoas infectadas falam, tossem ou espirram.

As máscaras funcionam como uma barreira de proteção para o vírus que circula no ar, sendo fundamentais para se proteger do coronavírus na viagem.

IMPORTANTE: máscaras de tecido podem ser usadas por até 3 horas seguidas. Depois desse período, devido à umidade natural produzida pela própria respiração, a máscara perde a eficácia. Ou seja, se a sua viagem for longa será necessário levar uma quantidade compatível com a duração da viagem.

Saiba também como usar a máscara de maneira correta.

3- Leve álcool gel

Em um ônibus não é possível lavar as mãos toda hora. Além disso, é inevitável que toquemos no encosto da poltrona e nas estruturas dos ônibus em alguns momentos. Não deixe de portar o seu álcool gel 70% para higienizar as mãos sempre que for necessário. Assim, você não corre o risco de tocar seu rosto com as mãos contaminadas.

4- Carregue pouca bagagem

Despachar a bagagem no bagageiro do ônibus implica em ter contato com mais pessoas, afinal, o motorista ou o ajudante precisará carregar a sua mala. Levar somente uma bagagem de mão que caiba no interior do ônibus é mais eficaz para evitar contato com o coronavírus na viagem. Além disso, é bem mais prático viajar assim.

5- Evite aglomerações

Na hora de embarcar ou de esperar o ônibus, mantenha a distância segura de 1,5 m das demais pessoas. Ficar mais próximo te tornará vulnerável ao contágio do vírus. Então, respeite as marcações de distância, quando houver, e não viaje com alguém ao seu lado.

6- Leve seu próprio lanche e cobertor

Evite ter contato com qualquer item que não tenha sido higienizado por você. Se puder, nas paradas, evite comer nos restaurantes, pois isso implica em higienizar todas as embalagens e recipientes corretamente. Além disso, leve seu próprio cobertor para se proteger do frio do ônibus.

7- Viaje de Buser

Neste momento, não vale a pena arriscar a saúde por nada. A Buser está retomando suas operações junto a suas transportadoras parceiras a partir do dia 26 de junho com protocolos muito rigorosos de segurança para minimizar os riscos da viagem, como a ocupação apenas das poltronas da janela, reforço na higienização dos ônibus e distribuição de álcool gel. O retorno tem como foco as pessoas que precisam fazer viagens essenciais. Se este é, de fato, o seu caso confira nossos trechos disponíveis no botão abaixo.

8- Chegou em casa? Tome banho!

Apesar de todos os cuidados empregados na viagem, suas roupas e objetos podem ter tido contato com superfícies contaminadas. Higienize todos os seus pertences com o procedimento correto para desinfecção e tome um banho cuidadoso.

Seguindo todos esses passos, você vai reduzir o risco de contágio pelo coronavírus na viagem. Todo cuidado é pouco, então, não relaxe na hora de se proteger.

Gostou das dicas? Então confira outras no Blog da Buser. Até a próxima!

Buser irá retomar sua operação de forma gradativa e com foco em segurança

Buser irá retomar sua operação de forma gradativa e com foco em segurança

Plataforma voltará a oferecer grupos em trechos onde há flexibilização do isolamento social a partir do dia 26 de junho, mas com novos protocolos de segurança, higiene e distância entre passageiros

A partir do dia 26 de junho, a Buser irá retomar a sua operação intermediando viagens entre algumas cidades para atender quem realmente precisa viajar neste momento de pandemia. A volta das atividades será gradual, de acordo com a flexibilização do isolamento social em algumas regiões do país. Para garantir a segurança dos passageiros, a retomada ocorrerá com novos protocolos de segurança por parte das empresas transportadoras, como o reforço na higienização dos veículos, disponibilização de máscaras reserva e álcool 70%, maior distância entre os passageiros e medição de temperatura.

De acordo com Marcelo Abritta, CEO da Buser, a companhia entende que este é o momento de voltar, mas de forma prudente. 

“A Buser foi uma das primeiras empresas do Brasil a parar e a única envolvida com o setor rodoviário que fez isso com 100% da operação para conter a disseminação do vírus e por entender sua responsabilidade social. Agora, iremos abrir a oferta de viagens para alguns trechos, retomando a operação aos poucos e respeitando as restrições impostas por autoridades estaduais e municipais.” 

Preços baixos continuam, mas segurança é a prioridade da Buser.

“Estamos tomando medidas concretas para nos adequarmos a essa nova realidade, cobrando das transportadoras parceiras coisas como a disponibilização de álcool gel para os usuários, reforço na higienização dos veículos e maior distância e proteção entre passageiros.  Reitero que estamos voltando por aqueles que precisam fazer viagens essenciais. Continuaremos oferecendo acesso a alternativas com preços mais acessíveis, o que será muito importante para a população, tão machucada pela crise, neste momento de retomada”, afirma Abritta.

Protocolos de segurança

A Buser irá atender as medidas de segurança recomendadas pelos órgãos de saúde e nossas transportadoras parceiras irão adicionar novos protocolos para deixar as viagens ainda mais seguras durante a retomada operacional.

Máscaras

De acordo com as novas diretrizes de saúde, é obrigatório o uso de máscaras nas viagens para a segurança de todos. Sendo assim, reforçamos a necessidade de que nossos usuários levem suas próprias máscaras esterilizadas para viajar, com trocas de 3 em 3 horas. As transportadoras parceiras disponibilizarão máscaras reserva para quem não tiver e, assim, garantir a segurança de todos usuários e motoristas.

Álcool gel 70%

A Buser irá oferecer, também, álcool gel 70% de brinde para que os nossos usuários possam higienizar as mãos com segurança sempre que acharem necessário ao longo das viagens. Também haverá dispenser com álcool gel ativado pelo pé em alguns pontos de embarque. Na entrada dos ônibus e dos banheiros, as empresas parceiras também irão alocar outros dispensers com álcool gel.

Medição de temperatura

Todos os usuários terão suas temperaturas medidas por termômetros infravermelho. Passageiros com temperatura até 37,8º poderão embarcar.

Maior distância entre passageiros 

Para garantir que os usuários não viagem próximos uns dos outros, ocuparemos apenas as poltronas da janela e limitaremos as vagas disponíveis para reserva no ônibus. Assim, iremos garantir mais espaço entre as pessoas, como recomendam os órgãos mundiais de saúde.

Cabines de sanitização

Em alguns pontos de embarque estará disponível uma cabine de sanitização individual que higieniza as pessoas que entram nela (uma por vez). Um sensor detecta a presença da pessoa e aciona a pulverização que dura 4 segundos. Isso tornará a viagem de todos ainda mais segura.

Reforço na limpeza

As transportadoras parceiras farão mudanças no processo de higienização dos ônibus após cada viagem realizada, incluindo estofados e encosto de cabeça, utilizando produtos aprovados e indicados pela Anvisa. Estamos acompanhando constantemente as diretrizes dos órgãos de saúde para a melhoria do processo a qualquer momento.

Marcações na fila de embarque

Para garantir organização e segurança na hora do embarque, haverá uma marcação no chão de alguns pontos de embarque com maior fluxo de pessoas. A marcação deverá ser respeitada por todos os usuários para que não haja proximidade entre as pessoas e aglomeração.

Motoristas fora da faixa de risco

Apenas motoristas fora do grupo de risco (idade ou doenças prévias) estão autorizados a fazer viagens intermediadas pela plataforma. 

Mas, Buser, além da higienização, o que mudou?

Bom, tudo mudou! O mundo não é mais o mesmo depois dessa pandemia e os nossos protocolos evoluíram. Além das profundas mudanças nos processos de higiene e segurança, não iremos retomar de imediato a oferta de todo e qualquer tipo de rota. O que isso quer dizer? Quer dizer que estamos conscientes da gravidade da Covid-19 e que a nossa prioridade será sempre garantir a segurança de todos. 

Estamos mantendo um alinhamento constante com as diretrizes municipais, estaduais, federais e respeitando todas as restrições necessárias. Sendo assim, não podemos garantir que todos farão a viagem que precisam em um primeiro momento.

Além disso, recomendamos que nossos usuários só viagem se isso for mesmo necessário. A retomada das operações tem como objetivo atender parte dos nossos clientes que precisam viajar de qualquer maneira e ficaram sem atendimento durante o período de isolamento. 

Ainda em dúvida?

Se a sua dúvida for sobre como se proteger melhor ao viajar de ônibus e como se manter seguro, você pode encontrar mais informações na página oficial da OMS (OPAS Brasil) e da Anvisa

Se a sua dúvida for sobre os direitos e deveres dos usuários Buser neste período de retomada. Acesse o nosso FAQ com perguntas e respostas frequentes.

Além disso, acompanhe o nosso site e blog e fique atualizado em relação aos ações da Buser sobre a Covid-19.

Dias melhores virão e quando isso acontecer estaremos prontos para cruzar o país. Enquanto não chegamos lá, se precisar mesmo viajar e com segurança, conte conosco! 

Buser investe em novas tecnologias de segurança nas frotas parceiras

Buser investe em novas tecnologias de segurança nas frotas parceiras

Novas tecnologias de segurança como câmeras de fadiga, telemetria e sensores de cinto de segurança estão sendo implementadas nas frotas das empresas que trabalham com a plataforma

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 90% dos acidentes de trânsito são causados por falhas humanas. Ainda segundo a mesma organização, as principais causas de acidente são, respectivamente:

  • excesso de velocidade;
  • associação de bebida alcoólica e direção;
  • falta de uso de capacete, cinto de segurança e equipamento de retenção para crianças.

Com o objetivo de proporcionar mais segurança na condução dos veículos e para os passageiros, a Buser tem promovido investimentos em novas tecnologias de segurança para as empresas parceiras, como câmeras de fadiga, sensores de cinto de segurança e telemetria.“Trabalhamos com estratégias de segurança preventiva para evitarmos qualquer tipo de acidente e, para isso, usamos algumas tecnologias”, declara o head de segurança e operações da Buser Brasil, Rodrigo Souza.

Entenda melhor como funcionam tais tecnologias e que resultados elas trazem. Continue a leitura!

Câmera de fadiga

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Medicina de Tráfego (ABRAMET) em parceria com a Academia Brasileira de Neurologia e o Conselho Regional de Medicina indicou que cerca de 42% dos acidentes de trânsito estão relacionados ao sono. Assim, o cansaço é uma das principais causas de morte nas rodovias brasileiras.

Para evitar expor seus usuários a riscos desnecessários causados por sono, a Buser está implantando câmeras de fadiga em toda a frota. Tal câmera monitora os motoristas e traduz em parâmetros o nível de fadiga em que eles se encontram. 

Esses dados são mostrados de forma visual em gráficos que mudam de cor, entre verde, amarelo e vermelho. Sendo verde o motorista que apresenta níveis normais, amarelo representa que ele está em estado de fadiga e vermelho é um alerta de que o profissional não pode dirigir. Os gráficos são monitorados por uma central que funciona 24h por dia.

“Se o motorista entra em um nível de fadiga alto, o sistema fica vermelho e a equipe entra em contato com ele. Se for necessário, pode-se até enviar outro motorista para substituí-lo, mas a ideia é que eles não fiquem cansados e que não precisemos chegar a esse ponto”, declara Rodrigo Souza.

Ainda em 2020, 100% da frota das empresas precisará terá câmera de fadiga instalada para que sigam sendo parceiras da Buser.

Acompanhe as novidades do blog da Buser AQUI

Telemetria

Outra estratégia que tem sido utilizada pela Buser é a Telemetria. O sistema controla a velocidade dos ônibus e gera dados em tempo real, que também ficam plotados em gráficos. Assim, equipes de segurança podem fazer a gestão 24h por dia desses dados e dos motoristas junto às empresas parceiras. 

Essa gestão constante é um grande diferencial da Buser em relação ao mercado. “Monitoramos os motoristas a fim de diminuir a probabilidade de acidentes fazendo com que eles dirijam de forma mais prudente e segura. Para isso, atuamos com medidas corretivas para motoristas que dirigirem acima da velocidade permitida. Se algo fugir do planejado, veremos no sistema”, esclarece Rodrigo. 

Caso o motorista ultrapasse a velocidade de 90 km/h é ativado um aviso sonoro no veículo a fim de alertar o profissional. Através do sistema também é possível saber se um ônibus quebrou, se chegou ou saiu com atraso ou se passou do tempo de parada. 

Cinto de segurança com alerta

Uma pesquisa da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) feita no fim de 2019 concluiu que seis em cada dez passageiros de ônibus intermunicipais não usam o cinto de segurança.

Apesar de ser altamente difundida a informação de que o uso do cinto reduz os riscos de morte e de lesões graves, os passageiros resistem a usá-lo.

Com o objetivo de fazer com que seus clientes usem a proteção, a Buser está investindo, na frota de suas empresas parceiras, em uma tecnologia desenvolvida internamente que emite alertas sonoros e visuais caso o passageiro não esteja com o cinto. “Caso o usuário se sente no assento e não afivele o cinto em até um minuto e meio, vai soar um alarme sonoro e visual, com uma  luz vermelha. Assim, a equipe e até outros passageiros podem intervir. Queremos garantir que, caso ocorra uma fatalidade, todos estejam usando o cinto”, acrescenta Rodrigo.

Segurança: uma prioridade

Em cada ônibus existem, pelo menos, 40 vidas. Todos os dias, milhares de pessoas são transportadas com a intermediação da Buser. Assim, os investimentos em novas tecnologias de segurança estão só começando, pois a busca pela excelência vai continuar. “A segurança para a Buser é um valor e vai estar acima de qualquer outra coisa”, acrescenta o head de segurança e operações da Buser.

Quer ser nosso parceiro? Então entre em contato através do e-mail: savio.carissimo@buser.com.br. Quer viajar com com mais segurança e qualidade? Então acesse o nosso site AQUI e veja os nossos grupos.

Até logo!