Turismo religioso no Brasil: qual a sua relevância para o setor?

11 minutos para ler

Entenda o mercado do turismo religioso do Brasil e conheça os principais destinos

Uma pesquisa publicada pela Folha de São Paulo revela que 50% dos brasileiros são católicos, 31% são evangélicos e 10% revelam não ter religião. A fé do povo brasileiro se reflete nas centenas de templos e santuários espalhados pelo país, revelando todo o potencial do turismo religioso no Brasil.

Mais do que uma manifestação de fé, o turismo religioso é um segmento que movimenta a economia e faz circular a renda. Turistas brasileiros e estrangeiros circulam pelo país para conhecer os lugares considerados sagrados.

Neste post, você vai conhecer a história do turismo religioso do Brasil, seu potencial, sua força, como ele movimenta a economia e o que dizem as estatísticas. Ao final, vai conferir os destinos mais populares no país. Boa leitura!

1. História do turismo religioso no Brasil

O Brasil é um país de território extenso, de grande diversidade cultural. Tão vasto quanto seu território e a mistura de culturas é a diversidade religiosa. Pessoas com crenças afro-brasileiras, orientais, protestantes, cristãs, evangélicas e pentecostais convivem, diariamente, em todos os espaços de nossa sociedade.

Entretanto, devido ao calendário de celebrações religiosas, milhares de pessoas deslocam-se pelo país em busca de templos, santuários e outras comemorações relacionadas ao exercício da fé.

Pesquisadores da Univali (Universidade do Vale do Itajaí, em Santa Catarina) realizaram um levantamento sobre a evolução de 3 santuários católicos no Brasil:

Os primeiros registros de peregrinação são de 1845, quando os fiéis chegavam a Iguapé por vias marítimas ou terrestres, pagando suas promessas e adorando a imagem de Bom Jesus. O volume de peregrinos aumentou consideravelmente na década de 1940.

Entretanto, a estrutura de turismo não evoluiu com o tempo. O número de visitantes também não é mais o mesmo e as comemorações concentram-se em apenas um período do ano, entre o final de julho e início de agosto. No período é comemorado o dia de Bom Jesus.

Já em Aparecida, as romarias começaram no ano de 1900. A pedra fundamental do Santuário foi lançada em 1947, apresentando um fluxo crescente de visitantes. Em 2011, o local atingiu a marca de 10 milhões de visitantes.

Comparado com Aparecida e Iguapé, o Santuário de Madre Paulina é um destino recente. Ainda que a história da Madre Paulina tenha começado no século passado, a inauguração do complexo turístico dedicado a Santa aconteceu apenas no ano de 1993.

2. Potencial do turismo religioso

Quando uma pessoa visita um santuário religioso, ela vive uma experiência ligada à fé e a espiritualidade. No entanto, o potencial dessa categoria de turismo vai além da sua relação com as religiões.

Ao visitar esses locais, os turistas acabam consumindo produtos e serviços, além de ter acesso a outros tipos de serviços e visitação. Roteiros gastronômicos, histórico-culturais, arquitetura diferenciada fazem parte desses passeios.

O turismo religioso também pode ser considerado como um modo de melhorar a infraestrutura e a qualidade de vida dos moradores dos locais visitados. Isso aconteceu no Largo de Roma, em Salvador, região onde está localizado o Santuário Santa Dulce dos Pobres e no Bairro do Brás em São Paulo, após a construção do Templo de Salomão — sede mundial da Igreja Universal.

3. Motivos da força do turismo religioso brasileiro

Diferentemente de outros países, o Brasil é um país marcado pela tolerância religiosidade. O roteiro de turismo religioso brasileiro contempla centenas de destinos e práticas voltadas aos mais diversos tipos de crenças — fatores que influenciam de maneira positiva na sustentabilidade desse ramo do turismo.

Além da própria fé, o que move o turismo religioso são as festividades, as regiões na qual os santuários se localizam e até mesmo a arquitetura. Os complexos apresentam construções impressionantes, como o Templo de Salomão, com 55 metros de altura ou as igrejas de Minas Gerais e Bahia, revestidas por ouro.

Antes de programar o passeio, é importante estudar sobre a região e descobrir a melhor época para viajar. Cada local tem seu próprio calendário de comemorações, o que pode ser bom ou ruim — dependendo do tipo de passeio que o turista está buscando.

4. Movimentação da economia

O turismo religioso no Brasil movimenta a economia em vários sentidos. Primeiro que os turistas precisam se locomover até os santuários, e podem fazer isso de modo particular, por meio de agências de turismo (especializadas em turismo religioso ou que vendam pacotes no geral), grupos de igreja ou excursionistas.

Dependendo da quantidade de dias, também precisam de hospedagem — desde as mais simples, até as mais sofisticadas, em hotéis de melhor categoria ou até mesmo resorts. Isso porque alguns santuários estão localizados próximos a regiões badaladas, como Nova Trento, que fica próximo ao litoral de Santa Catarina.

Com isso, também impactam no consumo de restaurantes, lanchonetes, na compra de artesanatos, presentes e outras lembranças. Também podem expandir a viagem para outros locais. É o caso das cidades do interior de Minas Gerais, um refúgio repleto de igrejas e com bastante força no turismo rural, esportes radicais e roteiro de cachoeiras.

5. Dados e estatísticas

O turismo religioso no Brasil é uma atividade relevante para economia, despertando o interesse de dezenas de pesquisadores e jornalistas pelo país. Por esse motivo, há um bom volume de dados publicados sobre o tema:

  • matéria publicada pelo Estado de Minas apresenta dados do IBGE que expressam um crescimento de mais de 60% no número de evangélicos adeptos ao turismo religioso, uma prática que até então era popular entre os católicos;
  • a mesma reportagem revela que em 2018 o turismo faturou R$ 15 milhões de reais com a venda de pacotes turísticos para destino religioso;
  • cerca de 18 milhões de viagens são feitas todos os anos aos mais de 300 destinos religiosos do Brasil;
  • há 185 comemorações inscritas no Calendário Nacional de eventos do Brasil;
  • uma publicação do G1 revela que, anualmente, cerca de 5 milhões de turistas vão à Bahia para a prática do turismo religioso.

6. Destinos que atraem mais fiéis

Veja os destinos dedicados ao turismo religioso mais populares no Brasil.

6.1. Aparecida

Não tem como falar sobre o turismo religioso no Brasil sem falar de Aparecida, cidade do interior de São Paulo que abriga o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, dedicado à padroeira do Brasil.

Considerado um dos maiores templos católicos do mundo, seu recorde de público foi em 2017, quando o local recebeu 13 milhões de peregrinos. O feriado mais movimentado é o de 12 de outubro, feriado nacional para culto de Nossa Senhora Aparecida.

O turismo religioso em Aparecida se baseia nas seguintes atividades:

  • bondinho aéreo para acesso ao Mirante do Morro do Cruzeiro;
  • missas;
  • Morro do Presépio — onde o turista encontra mais de 70 esculturas representando passagens bíblicas;
  • Sala das Promessas — local que guarda objetos, fotos e cartas de fiéis em agradecimento à padroeira.

6.2. Juazeiro do Norte

Juazeiro do Norte, no Ceará, é palco da mais tradicional romaria do Brasil, que acontece desde 1889 no feriado de finados. A peregrinação é dedicada a Padre Cícero — popularmente conhecido como Padim Ciço.

Os peregrinos passaram a visitar a cidade quando a hóstia consagrada na missa de Padim Ciço virou sangue na boca de uma beata. O milagre nunca foi reconhecido pela igreja católica, mesmo assim, os fiéis do mundo todo continuam visitando a cidade.

6.3. Belém

No ano de 1700, uma pequena imagem de Nossa Senhora de Nazaré foi encontrada às margens do igarapé Murucutu — um pequeno riacho que não sobreviveu ao longo dos séculos e hoje não existe mais.

Nesse local foi construída a Basílica Santuário de Nazaré, que começou a ser erguida em 1909 e anualmente é palco da celebração do Círio de Nazaré, que acontece no segundo domingo de outubro.

O Círio de Nazaré é uma das maiores manifestações religiosas do Brasil, em forma de procissão. A imagem é levada da Catedral da Sé até a Basílica de Nazaré, onde fica exposta na praça do santuário por uma semana.

6.4. Nova Trento

Nem só de praia vive o turismo em Santa Catarina. O município de Nova Trento — a 61 km de Balneário Camboriú, 99 km da capital Florianópolis e 78 km de Blumenau  — abriga dois Santuários: o Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro e o Santuário de Madre Paulina.

Madre Paulina foi uma italiana, nascida em 1865, que veio morar no Brasil aos 10 anos de idade. Em 1991, foi beatificada. A canonização veio em 2002. O primeiro milagre reconhecido pelo Vaticano aconteceu em 1966, quando uma mulher foi curada de uma forte hemorragia.

O segundo milagre foi em 1992, quando uma menina operou um tumor na cabeça e se recuperou sem sequelas, considerado um fato milagroso pelos médicos do Vaticano.

O local não abriga apenas a igreja. Como o Santuário é um parque ecológico, há cachoeiras e trilhas para o turista se divertir. Além disso, a estrutura conta com restaurante e hospedagem.

6.5. Salvador

Salvador é um destino onde são celebradas diversas festas religiosas durante o ano, contemplando múltiplas religiosidades. Por exemplo, dia 04 de dezembro comemora-se a festa de Santa Bárbara, na religião católica, e de Iansã, no candomblé.

Nos dois casos, os fiéis vão ao Centro Histórico vestidos de vermelho. As comemorações iniciam pela manhã com uma missa. Depois, os fiéis seguem em procissão pelas ruas da capital da Bahia.

Em janeiro acontece a já popular procissão de Nosso Senhor do Bonfim, onde as escadarias da igreja são lavadas durante a celebração. Já no dia 2 de fevereiro é a vez dos admiradores de Iemanjá colocar ofertas e pedidos para serem levados pelo mar.

6.6. Templo Budista Chen Tien

O Templo Budista Chen Tien é o segundo maior templo budista da América Latina. Localizado em Foz do Iguaçu, às margens do Rio Paraná, foi construído em 1996 pela comunidade chinesa que vive na cidade brasileira conhecida pelas suas cataratas.

O santuário é um espaço para reflexões, recomendado não só para os budistas, como para os adeptos da prática da medição. O local abriga um centro de estudos, seguindo a linhagem da Terra Pura. Os budistas do Templo Chen Tien são devotos do Buda Amitabha, o Buda da Luz Infinita.

Mesmo as pessoas de outras religiões podem aproveitar o passeio. Os jardins são bem cuidados e há uma coleção de mais de 120 estátuas espalhadas por ele. Destacam-se:

  • estátua do Buda Sorridente, com 7 metros de altura;
  • estátua do Buda Amitabha, com 10 metros de altura;
  • 18 estátuas de Arahants;
  • estátua de Sidarta Gautama, príncipe indiano considerado o grande mestre do budismo.

Ainda no jardim há 4 estátuas que representam as principais qualidades de um Buda:

  • a grande compaixão;
  • a sabedoria;
  • a salvação dos seres;
  • o amor.

6.7. Cachoeira Paulista

O pontapé para a construção do Santuário do Pai das Misericórdias, pertencente à comunidade católica brasileira Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP) foi no ano de 2002.

Foi o Monsenhor Jonas Abib, fundador do grupo que segue os preceitos da Renovação Carismática, decidiu erguer o complexo. Entretanto, a pedra fundamental foi inaugurada apenas em 2007 e suas obras iniciaram em 2008.

O santuário se dedica ao Pai das Misericórdias, ou seja, a Deus. Recebe mais de 1 milhão de turistas por ano.

6.8. Guaratinguetá

Localizado em Guaratinguetá (SP), o Santuário Frei Galvão é dedicado ao primeiro santo brasileiro. Considerado padroeiro dos engenheiros, arquitetos e construtores, projetou o Mosteiro da Luz, convento da cidade de São Paulo que deu origem ao bairro da Luz.

O milagre atribuído ao Frei Galvão, que levou a sua canonização, foi a gravidez de Sandra Grossi de Almeida. Após sofrer 3 abortos espontâneos devido a malformação uterina, passou por uma quarta gravidez, de altíssimo risco. O bebê nasceu saudável após o uso das Pílulas de Frei Galvão.

Não há comprovação científica do que levou a quarta gravidez adiante, por isso, o milagre foi reconhecido pela igreja.

Seja de ônibus, carro ou avião, chegar aos principais destinos de turismo religioso no Brasil e entrar em contato com a história dos santos e sacerdotes pode ser uma experiência enriquecedora e emocionante.

Quantos desses destinos você conhece? Conte para a gente aqui nos comentários.

Posts relacionados