fbpx

Checklist de viagem: veja tudo o que não pode faltar

16 minutos para ler

O checklist de viagem é o primeiro passo para aproveitar as férias da melhor forma. Descubra aqui o que você não pode esquecer durante o planejamento

Viajar nas férias é uma delícia, mas para que os dias de descanso sejam perfeitos, é necessário muito planejamento. Pensando nisso, preparamos este checklist de viagem.

Organizar um roteiro, pesquisar passagens, hospedagem e até mesmo fazer as malas é um processo que exige muita atenção, já que qualquer falha pode transformar o passeio em um pesadelo.

Se você já está de olho na viagem pós-quarentena, siga nosso guia e desfrute de dias maravilhosos de descanso!

Importância do checklist de viagem

Mesmo quem passa anos planejando uma viagem pode cometer alguns deslizes que atrapalham todo o roteiro. Uma peça de roupa esquecida ou um item de higiene que não foi colocado na mala até pode ser facilmente resolvido no destino, mas deslizes como a falta de uma vacina ou um horário de ônibus mal calculado pode fazer o viajante perder o passeio.

Podemos listar uma série de vantagens que expõem a importância de um checklist de viagem bem-feito. Seguir as coordenadas sobre transporte, hospedagem, planejamento de gastos, contratação de seguros e até mesmo como arrumar a mala contribui para férias mais econômicas, seguras e bem-aproveitadas.

Confira essas questões de forma mais detalhada:

  • diminui as chances de esquecer o que é realmente importante, como, por exemplo, colocar as vacinas em dia e providenciar as vestimentas adequadas para o clima do local visitado;
  • o checklist de viagem, aumenta as chances de acertar no planejamento de gastos, preparando o orçamento de maneira adequada e evitando gastos extras.
  • um planejamento bem-organizado permite enxergar o que é prioridade para você na viagem, descobrir passeios imperdíveis e evita retornar para casa com a sensação de que podia ter feito melhores escolhas.

Ao longo deste material, você vai aprender mais sobre como o checklist vai permitir que você alcance esses objetivos.

2. Definição do destino

Se pararmos para pensar nos lugares que gostaríamos de conhecer, a lista pode ser extensa. Além disso, alguns sonhos podem ficar adormecidos porque julgamos que não cabem em nosso bolso, no tempo que temos para tirar férias ou na configuração da família.

Contudo, é possível deixar essas preocupações de lado quando há um planejamento de viagem e, principalmente, quando se aprende a considerar os pontos realmente relevantes antes de escolher um destino.

Além disso, você não precisa ter um destino em mente: a escolha pode partir dos seus gostos pessoais. Veja como fazer isso com nossas dicas.

2.1. Considere seus interesses

Viajar é bom, conhecer lugares novos também, mas é preciso considerar seus gostos pessoais para não ficar frustrado. Por exemplo, se você não é muito fã de praia, realizar um circuito nas cidades históricas de Minas Gerais pode ser mais atrativo que ir a Florianópolis.

Para começar a definir o destino ideal para a sua viagem, escreva uma lista de atividades que você gosta e o que seria bacana experimentar pela primeira vez, como um banho de cachoeira, um fim de semana em um spa ou prática de rafting.

2.2. Pesquise destinos de viagens

Agora que você já sabe o que gostaria de fazer, comece a pesquisar os destinos que oferecem as programações da sua lista. Visite blogs, o site da prefeitura das cidades, as páginas de hotéis e resort. Procure também por depoimento de pessoas que já passaram pelas experiências que você deseja ter.

Se algum amigo ou familiar já fez a viagem que você está de olho, peça algumas recomendações. Não esqueça de ficar atento para conseguir informações atualizadas.

2.3. Conheça o seu orçamento

Defina quanto você vai poder gastar na sua viagem, escolha quais os luxos que podem fazer parte do roteiro — por exemplo, um passeio especial ou um jantar em um restaurante famoso.

Essas informações vão ajudar a afunilar a lista de destinos preferidos de acordo com o custo e escolher opções viáveis de transporte e hospedagem.

2.4. Decida quanto tempo você tem para viajar

A relação entre orçamento e duração da viagem é imprescindível para que o planejamento dê certo. Uma viagem rápida possibilita alguns luxos como restaurantes e acomodações. Já um passeio longo viabiliza muitas visitas a museus e pontos turísticos, onde tudo pode ser feito com calma.

Não esqueça de contabilizar as horas que vai passar em um avião ou ônibus.

3. Documentos

A documentação exigida para viagem vai depender do meio de transporte e do destino escolhido.

Quem busca por destinos para viajar de ônibus ou avião tem menos trabalho: basta ter um documento original com foto para maiores de 18 anos.

Crianças de 0 a 11 anos e adolescentes de 12 a 17 anos viajam com Carteira de Identidade (RG) ou a Certidão de nascimento original.

Já para viajar para fora do país pode ser um pouco mais complicado, pois, dependendo do país, é necessário ter passaporte e visto de entrada.

Travestis e transexuais, cujos documentos são registrados com o nome social e respectiva identidade de gênero, podem comprar passagens, realizar reservas em hotéis e utilizar esses documentos normalmente durante a viagem.

Só terão problemas aqueles que emitem reservas com o primeiro nome de registro. Se você já está aguardando os novos documentos, deixe para fechar a viagem com o novo número do registro.

4. Planejamento de gastos

Até aqui, você cumpriu um dos pontos mais importantes do seu checklist de viagem: a escolha do destino, já que esse é um ponto que influencia diretamente o planejamento dos gastos.

É a partir do roteiro que você começa a ir atrás da cotação de passagem, hospedagem, período ideal e outros detalhes tão importantes para que suas férias sejam agradáveis e realmente atenda as expectativas.

Vamos aprender um pouco mais sobre como fazer um bom planejamento de gastos para a viagem? Confira:

  • certifique-se de ter uma mala adequada para o destino escolhido, você pode ter problemas caso não tenha uma bagagem que acomode casacos ou uma mochila que permita chegar a uma hospedagem mais afastada;
  • certifique-se de todas as taxas extras que devem ser pagas, por exemplo, para passeios especiais, ou em cidades como Bombinhas (SC) e Fernando de Noronha (PE) que cobram um valor por turista;
  • comece o orçamento considerando as maiores despesas, ou seja, de hospedagem e transporte;
  • crie uma planilha com os gastos estimados e alimente a cada serviço contratado, como com a hospedagem e as passagens — o montante economizado pode fazer parte da sua reserva de emergência;
  • faça uma pesquisa minuciosa de preços antes de fechar qualquer serviço.
  • liste os gastos obrigatórios que você vai ter antes de viajar, como, por exemplo, a compra de um casaco para lugares frios, o seguro viagem ou protetor solar;
  • mesmo que você tenha contratado uma apólice de seguro para viagens, determine uma pequena reserva para emergências e certifique-se de que esse dinheiro esteja acessível — em um cartão de débito ou em um banco com uma boa oferta de agências e caixas eletrônicos;
  • separe quanto dinheiro terá disponível para cada refeição e transporte local, individualmente — isso evita excessos no destino, facilita a escolha de restaurantes e a elaboração do roteiro antes de sair de casa.

5. Hospedagem

As dicas para escolher a hospedagem ideal durante as férias não fogem muito ao que falamos até agora: considerar os gostos, o orçamento, dar preferência ao transporte noturno em caso de ir para mais de um destino são práticas que podem ser aplicadas nesse momento.

Mesmo assim, queremos que você acerte na escolha. Por isso, separamos mais algumas sugestões.

5.1. Pense no que é importante para você

Tem viajantes que usam o hotel somente para dormir. Outros, gostam de relaxar em frente a TV após um dia de passeios, solicitar o serviço de quarto para o jantar e tomar um belo café da manhã.

Essas questões devem orientar a escolha da hospedagem perfeita. Seja em hostel, seja em hotel, seja em resort, procure saber direitinho o que as diárias incluem, pesquise avaliações de quem esteve no local recentemente e tire todas as dúvidas antes de fechar o pacote.

5.2. Procure saber a localização exata do hotel

Mesmo que esteja de carro, saber a localização exata do hotel é fundamental para evitar ficar frustrado a hora que chegar — especialmente porque muitos sites não costumam ser específicos.

Por exemplo, um hostel em cidade litorânea pode indicar estar a 1 ou 2 quadras do mar, mas é preciso saber se a região recebe bem aos banhistas, se tem infraestrutura, ou se você precisa se locomover a outro ponto da orla para poder aproveitar.

Outra descrição que causa confusão é quando a distância é medida pelo tempo. Por exemplo, o texto pode trazer “metrô a 15 minutos de distância”. O viajante, então, presume que são 15 minutos andando. Chegando lá, descobre que é preciso tomar um ônibus ou um Uber que leva 15 minutos — fora do horário de pico — até chegar ao transporte público.

Para evitar esses problemas, insira a localização exata em um mapa e procure por informações de quem já se hospedou no mesmo local.

5.3. Visite as redes sociais

Instagram e Facebook podem revelar informações valiosíssimas sobre o local em que você está pensando em se hospedar.

As pessoas são livres para tecer comentários, levantar questionamentos e responder ao que outros usuários perguntaram. Observe os elogios e as críticas, reflita sobre o que se encaixa no seu perfil e na sua necessidade. Repare, também, em como o estabelecimento recebe essas questões e como aborda os clientes após uma avaliação negativa.

5.4. Considere o transporte

A maioria dos hotéis define o meio-dia como horário de check-in e check-out. Você até pode conseguir dar entrada no quarto antes, dependendo da política. Verifique como o local escolhido funciona e, se for o caso, negocie meia diária antecipadamente.

Procure conhecer essas normas antes de comprar as passagens e escolha horários compatíveis ao de entrada e saída, para que você economize e consiga se acomodar com mais conforto antes de iniciar o roteiro escolhido.

5.5. Não se iluda com as fotos

Os estabelecimentos divulgam suas melhores fotos. Por isso, cuidado para não cair em uma cilada. Ao visitar as redes sociais ou sites que classificam os hotéis, procure as fotos postadas pelos hóspedes e avalie se bate com as imagens que estão no site do empreendimento.

6. Organização da mala

Fazer a mala pode parecer uma tarefa simples e uma das mais prazerosas quando o viajante está com um passeio marcado. No entanto, algumas dicas valiosas ajudam a levar o peso adequado, manter as roupas organizadas e não esquecer nenhum item importante.

6.1. Escolha uma mala pequena

Se você não vai passar 1 mês no seu destino, não tem porque escolher a sua maior mala para viajar. Inclusive, considere que o tamanho será compatível a tudo o que estará nela: quanto menor, mais chances de levar somente o que é necessário.

6.2. Aprenda quantas peças deve levar

Se a sua viagem vai durar 7 dias, considere pelo menos 7 pares de meias e 7 peças íntimas. No mais, escolha peças coringa e que aguentam mais de um passeio, como jeans, blusas pretas ou brancas básicas.

Nesses 7 dias, você provavelmente vai usar 4 blusas, 3 bermudas ou calças, 1 par de tênis e 1 de chinelos. Ajuste essa quantidade para as suas necessidades, como, por exemplo, ter um ou dois vestidos para jantares e passeios noturnos.

6.3. Faça uma lista

Sua mala também merece um checklist de viagem, que pode ser elaborado no dia a dia. Anote itens como desodorante, escova e pasta de dentes, shampoo e sabonete, remédios controlados e tudo o que é usado todos os dias

Quando chegar o dia de arrumar a mala, pegue essa lista e risque os produtos que forem armazenados.

6.4. Aproveite os espaços

A melhor maneira de organizar a mala é preencher cada centímetro do espaço. Meias devem ir dentro dos calçados, roupas que amassam fácil devem ser enrolados e roupas de tecido frágil podem ser armazenadas em sacos individuais.

Sapatos devem ocupar a parte inferior da mala, roupas íntimas e camisetas no centro e peças maiores, como vestidos ou casacos, na parte de cima, formando uma camada extra.

6.5. Cuidado com os líquidos

Alguns itens levados em viagem são líquidos, e eles devem ficar muito bem-protegidos. Em caso de vazamento, podem molhar e manchar roupas, arruinando a viagem. Certifique-se de que estejam guardados em embalagem resistente e impermeável.

6.6. Tenha uma mala de mão

Não importa para onde você vai, ter uma mala de mão é sempre importante! Seja nas paradas pelo caminho, seja para se prevenir de um possível extravio de bagagem, seja para guardar itens de higiene pessoal, essa bagagem tem um papel estratégico em qualquer viagem.

Geralmente, as pessoas acabam organizando apenas para viagens de avião. No entanto, a mala de mão para viagens de ônibus é prática por vários motivos:

  • ajuda a manter os documentos organizados, seguros e sempre à mão;
  • é o local mais adequado para guarda o carregador;
  • guarda itens de higiene pessoal e medicamentos de forma segura;
  • permite levar um casaco ou manta, prevenindo o frio do ar-condicionado;
  • pode acomodar petiscos e lanches.

Muitas pessoas levam esses itens dentro de uma bolsa comum. Contudo, o volume pode danificar alguns itens ou facilitar que sejam perdidos, caiam ou acabe amassando. Por isso, a mala de mão é uma forma prática de manter a organização e a segurança dos pertences durante a viagem de ônibus.

7. Seguro viagem

O seguro de viagem pode parecer um item chato e desnecessário. Afinal, de certa forma, você está investindo um dinheiro que poderia ser gasto em um passeio para que talvez nunca seja utilizado.

No entanto, é sempre bom estar preparado para qualquer adversidade. Você pode ficar doente em um lugar que não tem muita estrutura do sistema público de saúde ou ter outros tipos de contratempo que exigem tempo, dinheiro e condições razoáveis que possibilitem sua resolução.

Por exemplo, quebrar um braço andando de buggy ou até mesmo ser assaltado. O seguro viagem garante que você tenha a cobertura necessária para resolver esses problemas ou até mesmo voltar para casa antes do tempo, amenizando os prejuízos.

Veja alguns dos principais usos do seguro:

  • aconselhamento jurídico — teve um problema que só um advogado pode resolver? Algumas apólices incluem aconselhamento jurídico;
  • cancelamento — essa cobertura funciona para custos pré-pagos, como acomodação, transporte ou aluguel de carro, caso já tenham sido quitados, mas que, por algum problema, tenham que ser cancelados;
  • despesas médicas — lesões ou doenças como apendicite, pedras no rim ou um braço quebrado exigem atendimento médico de emergência na rede particular podem ser cobertos pelo seguro, dependendo da apólice;
  • perdas, danos e roubos — o extravio, roubo ou perda de um item pode gerar muito estresse, apólices que cobrem esse tipo de serviço amenizam o trabalho e possíveis gastos extras gerados pelo dano, como, por exemplo, a compra de um novo celular ou roupas.

7.1. Como fazer seguro viagem nacional

O seguro viagem é um dos itens obrigatórios para pessoas que viajam ao exterior, mas não é dada a devida importância para os passeios em território nacional — o que pode ser um erro, afinal, acidente não tem hora nem lugar para acontecer.

Vale a pena contactar as seguradoras e verificar os planos disponíveis, especialmente aqueles que vão para fora dos seus estados e não tem planos de saúde com cobertura nacional.

8. Meio de locomoção

Embora o preço das passagens áreas tenha apresentado redução ao longo dos anos, as viagens de ônibus continuam sendo uma opção econômica. Além disso, é uma maneira de aproveitar a viagem desde o início do trajeto, contemplando a paisagem.

Além disso, viajar de ônibus é uma maneira de chegar a qualquer lugar. Ainda que você viaje de avião, muitas vezes o ônibus é necessário para ir a outros destinos. Por exemplo, fazendo o circuito Rio-São Paulo, diminuindo os custos da viagem e contemplando as duas maiores capitais brasileiras.

Veja as vantagens com mais detalhes.

8.1. Tarifas

Houve um tempo em que as passagens de ônibus eram mais baratas que as de avião. Hoje, essa diferença não é muito grande, mas as passagens de ônibus ainda têm uma vantagem se comparadas às de avião. Ainda mais que o preço não oscila na alta temporada, os aumentos costumam ser pontuais.

Outra vantagem é a de que os preços não mudam bruscamente. Ou seja, você pode planejar sua viagem hoje para daqui 6 meses, que o valor esperado com transporte não vai sofrer uma mudança expressiva.

Além disso, ainda que decida o destino no último minuto, provavelmente ainda conseguirá encontrar transporte por um valor razoável. Não fica a mercê do tempo, já que um ônibus parte mesmo em condições de chuva e neblina.

8.2. Percurso

A principal ideia de uma viagem de ônibus é contemplar tudo ao seu redor, ver paisagens inéditas, tirar belas fotografias e se surpreender positivamente durante o caminho.

Seja viajando sozinho, seja ao viajar de ônibus com crianças, seja com o parceiro, amigos ou família, todos podem contemplar o caminho do seu jeitinho: pensando na vida, ouvindo músicas ou conversando sobre as diferentes paisagens.

8.3. Economia

Para aqueles que vão passar uns dias fora de casa e querem conhecer mais de um destino, as viagens de ônibus são uma forma de economizar com o pernoite. Ônibus leito ou semi-leito em horários noturnos permitem uma boa noite de sono, por um valor muitas vezes menor que um quarto de hotel.

Além disso, a carros equipados com cobertores, almofadas, poltronas totalmente reclináveis e até mesmo alguns lanchinhos para tornar a viagem ainda mais agradável.

Chegamos ao fim do nosso checklist de viagem! Esperamos que você tenha aproveitado todas as dicas da melhor forma possível para que suas próximas férias sejam maravilhosas.

Conte sempre com as melhores dicas para viajar. Siga nossa página no Facebook e fique de olho nas novidades.

Veja os destinos turísticos atendidos pela Buser e comece a cumprir com o seu checklist de viagem o quantos antes!

1. Vitória

2. Belo Horizonte

3. Brasília

4. Rio de Janeiro

Posts relacionados