Donas dos seus caminhos: o manual da mulher que vai viajar sozinha – parte 2

Donas dos seus caminhos: o manual da mulher que vai viajar sozinha – parte 2

Começar a viajar sozinha é uma grande decisão, mas neste texto vamos oferecer o passo a passo para que você, mulher, se sinta mais segura

Viajar sozinha pode ser desafiador para muitas mulheres, mas não deixa de ser extremamente prazeroso e gratificante. Pelo menos é o que acredita Bia Ribeiro e Melani Guedes. As duas tiveram suas vidas e a percepções sobre si mesmas transformadas pelas viagens.

Conheça a primeira parte dessas histórias. Leia: Donas dos seus caminhos! Conheça três mulheres viajantes inspiradoras – parte 1

Mas essa trajetória de transformação vai além delas mesmas e, hoje, muitas mulheres ajudam as outras a se empoderarem para viajarem em sua própria companhia e essa corrente de sororidade só aumenta.

Quer viajar sozinha? Então comece!

A dentista e criadora de conteúdo Melani Guedes descobriu um grande gosto por viver e viajar sozinha. Ela criou um grupo no Facebook, hoje com 130 mil mulheres, em que elas dividem suas experiências e dicas de viagens para que cada vez mais mulheres viagem sozinhas.

Melani Guedes em sua viagem para a África com um felino de grande porte branco
Melani Guedes em uma de suas viagens. Na foto ela está na África do Sul (foto: arquivo pessoal)

“Eu montei um grupo despretensiosamente no Facebook, procurando conhecer pessoas que estavam passando pelo mesmo desafio que eu e trocar experiências. Deu super certo. Hoje em dia tem 130 mil pessoas no meu grupo e ele é o meu xodó. Gosto muito do trabalho que eu faço ali”. 

Também é possível acompanhar suas dicas pelo instagram @viagensdemulher.

Mas, viajar sozinha pode ser um processo extenso. Primeiro, é necessário respeitar o próprio tempo. O que as mulheres menos precisam é de mais pressão, então, o ideal é não se obrigar a viajar sozinha e fazer isso de forma gradual, se quiser, é claro. “Tente viajar com mais uma amiga ou para um lugar onde você encontre pessoas que conhece. Com o tempo, você vai aprendendo a se desprender da necessidade dos grupos, a lidar com a própria insegurança, medos, com a solidão e aprendendo a transformar isso em uma experiência boa, aos poucos. Não é para ser um processo traumático”, explica a doutoranda em ciências sociais e viajante solo convicta, Bia Ribeiro.

Dicas de segurança não podem faltar

Ainda estamos longe da construção de um país seguro para as mulheres. Infelizmente essa não é uma realidade só do Brasil. No mundo, mulheres tendem a não se sentirem tão seguras viajando sozinhas quanto os homens.

Conversamos com Melani e Bia Ribeiro para entender qual é o passo a passo para que uma mulher se sinta mais segura viajando sozinha. Vamos a ele?

1- Compartilhe sua localização 

Pelo menos uma vez por dia é interessante compartilhar a sua localização com uma pessoa de confiança. Assim, caso aconteça alguma coisa ruim, será mais fácil te localizar.

2- Se sentir insegurança, finja uma ligação

Essa dica pode parecer estranha e chata, mas de acordo com Melani, ela é comprovadamente eficaz. Quando se sente insegura em suas viagens, ela finge que está conversando com outra pessoa. “Já cheguei a fingir ligações para despistar homens que estavam me assediando. Sempre finjo que existe um relacionamento, que existe um marido e tenho até uma aliança fake que eu uso nas minhas viagens, dependendo do país em que eu for. Tudo para me sentir mais segura”.

3- Não pareça perdida, mesmo se estiver

Caso você fique perdida em algum momento da viagem, o ideal é entrar em um local seguro, como comércio, e olhar um mapa ou o celular. “Não fique que nem uma barata tonta andando na rua sozinha. As pessoas vão perceber que você está perdida”, explica Melani.

4-  Não entre em detalhes sobre a sua vida pessoal

Não é bom contar muito sobre você mesma, porque pessoas mal intencionadas podem entender que você está viajando sozinha. “Evite falar que está viajando sozinha, principalmente para homens. A gente precisa omitir isso de tempos em tempos. Ou mesmo omitir que somos turistas, se for possível”, acrescenta Bia.

Bia Ribeiro no monumento "La Mano" em Punta del Este
Bia Ribeiro no monumento “La Mano” em Punta del Este (foto: arquivo pessoal)

5-  Se hospede em local seguro e use transporte seguro

Antes de escolher sua hospedagem é fundamental entender bem a localização. Entenda se existem regiões perigosas nas redondezas. Dê preferência a lugares em que você encontre outras mulheres. Evite hospedagens remotas. Já na hora de voltar para casa, se sentir que não está segura, não tenha medo de gastar um pouco mais e chamar um táxi ou um carro de aplicativo. 

“São coisas que os homens não precisam se preocupar, mas que, infelizmente, nós temos. O mais importante é a gente não ter medo de viajar. Porque senão a gente se submete a esse sistema cada vez mais machista e opressor”, acrescenta Bia Ribeiro.

Se quiser dicas mais detalhadas, acesse o post do blog da Melani Guedes criado com esse objetivo. Acesse AQUI

Viajar [sozinha] é preciso!

Como disse Bia, o importante é que as mulheres não deixem o medo ser um impeditivo para viajarem em sua própria companhia. Afinal, mulheres viajam sozinhas há muito tempo e não são coitadinhas por isso. Normalmente é escolha pessoal.

Você já parou para pensar que homens que viajam sozinhos são vistos como aventureiros, desbravadores e são parabenizados por isso? Mulheres viajantes frequentemente são questionadas, alertadas…percebe a diferença?

No fim das contas, mulheres que viajam sozinhas têm muita história para contar. Seja dos momentos incríveis ou dos perrengues. Não estamos negando que o mundo ainda é diferente para homens e mulheres, mas enquanto não encararmos com mais naturalidade as mulheres em papeis não convencionais, ele vai continuar desse jeito. Então, bora escolher o próximo roteiro?

Acompanhe o Blog da Buser e conheça mais histórias como essas

Comments are closed.